Windows Live Messenger + Facebook

Chat

Este blogue é, e continuará a ser, um espaço de debate aberto e democrático sobre os assuntos do nosso Santa e da nossa Região. No entanto, não será admitido qualquer comentário que ultrapasse as regras do bom senso e da educação. Comentários insultuosos, ameaças e faltas de respeito para com os demais serão moderados, tendo a administração do blogue a autoridade e o dever de agir em conformidade contra os infractores - através de todos os mecanismos de protecção do mesmo. Saudações Santaclarenses RBOF

Resultado na hora

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Vitórias ajudam à adaptação


Avançado brasileiro marcou o primeiro golo ao serviço do Santa Clara e salienta a importância de um desempenho positivo na adaptação a uma nova realidade.
Sylvestre foi utilizado nos cinco jogos oficiais que o Santa Clara já disputou nesta época mas foi em Matosinhos, no domingo passado, que o brasileiro entrou pela primeira vez no onze titular e completou os 90 minutos. O avançado revelou-se decisivo para o triunfo ao apontar o segundo golo no início da segunda parte, reforçando a vantagem adquirida no final da primeira parte quando Moreira inaugurou o marcador.
Foram dois golos de cabeça e foi com cabeça que a nossa equipa pautou o seu desempenho, como salientou Sylvestre. «Fomos com intenção de vencer e conseguimos a vitória. Estou feliz por isso e pelo golo que marquei», disse, confirmando que a estratégia passava por «entrar sólidos, realizar uma boa partida e esperar pela oportunidade para marcar».
O primeiro golo foi o corolário da estratégia e o segundo confirmou a superioridade táctica da nossa equipa sobre o opositor, mas o triunfo poderia ter sido mais folgada. «Não foi deslumbramento, é o futebol que tem destas coisas», disse, explicando o porquê da equipa não ter conseguido reforçar a vantagem no marcador. «O importante é que ganhamos e recuperamos os dois pontos perdidos em casa na jornada anterior», salientou.
Um golo e uma vitória reforçam a moral de qualquer jogador, ainda para mais quando se trata de um atleta que está a jogar na nossa equipa pela primeira vez. «Dá motivação, sim, ainda para mais numa fase em que ainda estou a adaptar-me ao futebol português que tem mais contacto físico que o brasileiro».

Sem comentários:

Arquivo do blogue