Windows Live Messenger + Facebook

Chat

Este blogue é, e continuará a ser, um espaço de debate aberto e democrático sobre os assuntos do nosso Santa e da nossa Região. No entanto, não será admitido qualquer comentário que ultrapasse as regras do bom senso e da educação. Comentários insultuosos, ameaças e faltas de respeito para com os demais serão moderados, tendo a administração do blogue a autoridade e o dever de agir em conformidade contra os infractores - através de todos os mecanismos de protecção do mesmo. Saudações Santaclarenses RBOF

Resultado na hora

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Adversário duro de roer

O Santa Clara prepara o confronto com o Gil Vicente no máximo sigilo, em Ofir. O plantel está em blackout e os treinos no complexo desportivo de Fão têm sido à porta fechada. Mas a verdade é que tanta concentração justifica-se face ao histórico de embates entre os dois conjuntos, principalmente em Barcelos. Tradicionalmente, o Santa Clara sente muitas dificuldades frente aos gilistas e é preciso recuar três anos para encontrar uma vitória açoriana, embora esse triunfo tenha acontecido no Estádio de S. Miguel, nos Açores. O caso fica mais sério no que diz respeito aos encontros em Barcelos, sendo necessário recuar ao ano de 2003, quando os dois emblemas coexistiam no escalão maior. Amanhã, o trabalho não se avizinha fácil para a equipa de Vítor Pereira, que, para além de ter de recuperar moralmente os seus jogadores da humilhante derrota na Trofa, também terá de encontrar forma para que estes esqueçam sete anos de uma história negra no terreno dos gilistas.Hoje, o grupo de trabalho realiza o último treino antes do jogo e não há atletas indisponíveis. Ontem, os açorianos foram visitados pelo CNAD para realizarem um controlo antidopagem.


O Jogo

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Viagem cronometrada...


A nossa viagem a Barcelos será uma viagem cronometrada, será muito difícil, mas vamos apostar, a nossa deslocação será no Sábado dia 1 Maio pelas 06h40 a bordo da Sata internacional, chegados a Lisboa teremos pouco mais de 25 minutos para apanhar o comboio na Gar Oriente de Lisboa rumo ao Porto, chegados ao Porto temos 18 minutos para apanhar um outro comboio Urbano rumo a Braga, cidade aonde ficaremos hospedados, chegaremos a Braga se tudo correr bem e não houver atrasos por volta das 17h00 horas, será mesmo que dizer rumo a Barcelos com mais 20 minutos, chegaremos a Barcelos mesmo na hora do início do jogo, esta é sem duvida uma aposta certeira de quem acredita ser capaz de chegar a Barcelos mesmo a tempo, o mesmo se diz que o Santa Clara acredita chegar ao final e subir de divisão, portanto meus amigos, vamos todos remar no mesmo sentido, todos juntos chegaremos a bom porto.

redboysonfire

Continuo a acreditar

O Santa Clara deu, no passado domingo, um grande tropeção na luta pela subida à Liga Vitalis. Na Trofa, os encarnados foram copiosamente batidos pelo Trofense, por cinco bolas a duas, e a primeira liga ficou claramente mais longe. Tanto mais porque, em caso de vitória, a equipa de Vitor Pereira tinha passado a depender de si própria para alcançar o objectivo a que se propôs no início da temporada.

Apesar de na blogosfera todos quererem crucificar o treinador e jogadores encarnados, friamente faço outra análise deste desaire: o Santa Clara perdeu porque foi ambicioso.

Teria sido fácil, quando o jogo estava empatado a dois golos, ter segurado o “pontinho”. Mas não. Vitor Pereira, como todos os técnicos ambiciosos, quis ganhar. Perdeu, é verdade, mas não é por isso que é agora um mau treinador. No futebol, como a vida, quem não arrisca não petisca. O treinador do Santa Clara decidiu, a meu ver bem, arriscar. A aposta saiu-lhe falhada, mas nem por isso merece ser crucificado. Criticar é fácil, mais difícil é fazer.

As pessoas que têm como passatempo predilecto falar mal do Santa Clara e empurrar o clube para baixo ainda não perceberam o alcance de uma possível subida à liga principal. Provavelmente, pensarão que a promoção ao primeiro escalão do futebol português só beneficiará o próprio clube. Obviamente, estão enganados.

A Região atravessa um momento económico difícil. No sector do turismo, os números caem todos os meses. Existem unidades hoteleiras encerradas durante o Inverno, a restauração está vazia, o comércio está nas ruas da amargura e os rostos dos micaelenses estão cada vez mais fechados, sinal claro das preocupações que lhes assomam o espírito.

Sendo assim, por que não havemos de torcer para o Santa Clara subir de divisão? Esqueça-se o passado, as paixões clubísticas e o bairrismo, e pense-se nos frutos que podemos recolher desta promoção.

Já pensaram que os Açores só são falados no Continente pelos piores motivos. Quando por cá acontece uma desgraça, lá salta o Arquipélago para as manchetes dos jornais e para os noticiários televisivos. De resto, nada. A Região não passa disto, mesmo para os continentais: nove ilhas separadas por umas quantas milhas aéreas, de difícil acesso, devido ao preço das passagens aéreas e nas quais, dizem eles, não se passa nada.

Claro que é mentira. Em muitos aspectos, os Açores deveriam ser um exemplo para os continentais. Mas a verdade é que não o são. A maior parte deles nem nos conhece. Alguns até julgam que, quando a maré está baixa, se atravessa de ilha para ilha, arregaçando as calças. Riam-se, mas é pura da verdade.

Agora, pensem num Arquipélago que é falado todos os dias devido ao futebol. Vejam aviões cheios de gente para virem a apoiar os seus clubes nos jogos frente ao Santa Clara. Há, ou não, benefícios? Claro que os há. Ganha a hotelaria, a restauração, o comércio e o clube (claro). Ganhamos todos. A mesquinhez de alguns não pode ser lei.

Eu acredito que o Santa Clara vai subir e que os Açores com isso vão ganhar nova projecção. Estarei errado? Não me parece.

Opinião
Pedro Botelho
Expresso das Nove

Contas estão asseguradas


Recuperação financeira não está directamente dependente da subida esta época.
A Direcção do Santa Clara espera que a equipa orientada por Vítor Pereira consiga alcançar a subida à Liga, meta traçada no início da época e feito que permitiria desafogar de forma significativa as contas do clube. Contudo, a recuperação financeira e o inerente equilíbrio das contas não está directamente dependente do sucesso desportivo, pois o orçamento foi projectado de modo a não se verificarem derrapagens em caso de insucesso desportivo; ou seja,de não promoção à Liga. Este é um cenário, porém, que os dirigentes nem querem colocar, na medida em que continuam a acreditar na conquista de um dos dois lugares de subida numa recta final de campeonato em que a equipa açoriana tem deixado escapar demasiados pontos.
fonte abola

OS DOIS ÍDOLOS DE PORTUGAL

MOURINHO E SILVINO
DOIS ÍDOLOS DE PORTUGAL


quarta-feira, 28 de abril de 2010

Vítor Pereira tem por hábito saber dar a volta


O Santa Clara sofreu na última jornada, frente ao Trofense, a mais volumosa derrota (5-2) na Liga Vitalis desde que Vítor Pereira assumiu a equipa no início da última época. No entanto, também é verdade que o treinador costuma saber dar a volta por cima após resultados negativos. Isto porque só por uma vez, ao longo de quase duas temporadas nos Açores, sofreu dois desaires consecutivos no campeonato. Aconteceu na actual época, quando o Santa Clara caiu em Oliveira de Azeméis após o desaire caseiro com o Penafiel, nas jornadas 17 e 18. De resto, e juntando 2008/09, Vítor Pereira somou nove derrotas na Liga Vitalis às quais se seguiram vitórias, em sete ocasiões, ou empates, apenas duas vezes. Uma tradição que quererá sem dúvida alguma ver mantida no jogo de Barcelos, sobretudo quando a equipa está praticamente proibida de perder mais pontos até final na corrida pela subida de divisão.
o jogo

Portugal alcançou a sua melhor posição de sempre num ranking da FIFA.



A selecção de Carlos Queiroz chega assim à África do Sul com o título de terceira melhor selecção do mundo.

A selecção portuguesa de futebol ascendeu hoje ao terceiro lugar do “ranking” da Federação Internacional de Futebol (FIFA), o seu melhor de sempre, ao subir uma posição em relação à tabela do mês passado.

Portugal, que tinha como melhor registo o quarto lugar, em Março de 2001, Janeiro e Fevereiro de 2002 e Março de 2010, ultrapassou a Holanda, passando a contar 1249 pontos, contra 1221 da formação “laranja”.

A subida da formação das “quinas” tem a ver com os pontos de Março de 2009, que “caíram”, pois não disputou qualquer encontro, oficial ou particular, desde a publicação do último “ranking”, a 31 de Março.

A tabela tem também um novo líder, já que o pentacampeão mundial Brasil voltou a ultrapassar a Espanha, que liderava desde Novembro de 2009, passando de uma desvantagem de 13 pontos para uma vantagem de 46 (1611 contra 1565).

No “top 10” registaram-se ainda mais alterações, com as subidas de Argentina (nona para sétima) e Croácia (10.ª para nona) e as descidas de Inglaterra (sétima para oitava) e França (oitava para 10.ª).

- “Ranking” da FIFA de 28 Abril de 2010 (classificação a 31 de Março):

1. (2) Brasil 1611 pontos. 2. (1) Espanha 1565. 3. (4) Portugal 1249. 4. (3) Holanda 1221. 5. (5) Itália 1184. 6. (6) Alemanha 1107. 7. (9) Argentina 1084. 8. (7) Inglaterra 1068. 9. (10) Croácia 1052. 10. (8) França 1044. ... 85. (86) Angola 390. 89. (89) Moçambique 378. 117. (116) Cabo Verde 236. 189. (192) Guiné-Bissau 19. 196. (181) Macau 15. 200. (200) Timor-Leste 4

O fantasma volta atacar.


Mais do que pesada, a derrota do Santa Clara na Trofa, na última jornada, fez surgir o espectro de mais uma morte na praia. Se na época passada a equipa orientada por Vítor Pereira partiu para os dois últimos jogos com o segundo lugar consolidado, posição entretanto perdida na derradeira jornada, com uma derrota na Feira, agora, corre o risco de quando voltar a pisar o relvado do Estádio S. Miguel estar já definitivamente afastada da luta pela subida. A deslocação a Barcelos está, por isso, a ser preparada com o máximo rigor, tendo a comitiva permanecido em Ofir, onde habitualmente realiza os estágios quando joga no Norte do país.
Para vencer o Gil Vicente e continuar a sonhar com o regresso à Liga Sagres, o técnico Vítor Pereira já poderá contar com Leandro Tatu e Oliveira, dois dos jogadores mais utilizados ao longo da época. Aliás, a goleada sofrida na Trofa serviu, igualmente, para comprovar a importância dos atletas na equipa. Se Leandro Tatu continua na luta pelo titulo de melhor marcador da Liga Vitalis, com 13 golos, Oliveira, para além de ser o capitão, é o responsável pela condução do jogo mais ofensivo. Organização e eficácia foram os aspectos que falharam na Trofa.
fonte ojogo

terça-feira, 27 de abril de 2010

Oliveira e Tatu em Barcelos


Equipa estagia em Esposende a pensar no Gil Vicente, ao qual tem mesmo de ganhar.
Ainda a digerir a pesada derrota frente ao Trofense, o Santa Clara começa hoje a preparar a visita a Barcelos, com a obrigatoriedade de somar os três pontos para continuar a acalentar esperança na subida de divisão. Vítor Pereira tem todo o plantel em estágio, em Esposende, e no início da penúltima semana de trabalho da época todos os jogadores estão disponíveis, podendo o treinador voltar a contar com Oliveira e Leandro Tatu, após castigo. Sem impedimentos de ordem física, a maior preocupação prende-se com a reabilitação psicológica do grupo.
fonte abola

Jogos da Liga Vitalis antecipados


Todos os jogos a contar para a 29ª jornada da Liga Vitalis foram antecipados para sábado dia 1 de Maio, serão todo realizados à mesma hora 17h30.

Liga Vitalis: Destinado a ser até ao fim


Este é, definitivamente, um campeonato explosivo que merece ser seguido até ao apito final do último jogo. Com 28 jornadas disputadas, os cinco primeiros estão separados por três pontos, uma proximidade que deixa água na boca para o que ainda vem aí. Apesar de tudo, há até a possibilidade, remota, de Oliveirense e Beira-Mar festejarem já no domingo a subida de divisão.
Para que tal se torne realidade, ambos têm de vencer, claro, e esperar pelas derrotas de Portimonense e Santa Clara, sendo que a equipa de Oliveira de Azeméis precisa também que o Beira-Mar perca para se tornar campeã. Se não é impossível é, no mínimo, improvável. Seja como for, tanto uma como outra não dependem de terceiros, o que é sempre um alívio nesta fase. E aí também há que juntar o Portimonense, pois beneficia da deslocação a terreno da Oliveirense no último jogo - e que jogo -, para também estar entregue apenas a si próprio.
É lógico afirmar que Santa Clara e Feirense estão em situação mais complexa. Curiosamente, Vítor Pereira estará a torcer para que os azuis ultrapassem o actual líder no domingo. Partindo do princípio que vence em Barcelos, o Santa Clara ultrapassaria a Oliveirense e ficava, caso não chegue já aos dois primeiros lugares, em boa posição para tirar proveitos do grande jogo da última ronda - empate ou derrota dos algarvios. O sentimento não é recíproco: ao Feirense não vem nada a calhar que os açorianos derrotem os galos.
Com quatro equipas à frente, Carlos Garcia sabe que, além de vencer e igualar a Oliveirense - teria ainda vantagem no confronto directo -, é importante ultrapassar pelo menos outra equipa, de modo a não ser obrigado a estar com o ouvido em demasiados campos na ronda final. Chegar lá sem depender de ninguém também é possível, se o Santa Clara no máximo empatar em Barcelos e o Beira-Mar perder nas Aves. No fundo, quer que alguém assuma o papel que teve na última época, quando tirou a subida ao Santa Clara no último jogo, depois de quase o ter feito ao Rio Ave em 2007/08.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

QUEM TUDO QUER...


Açorianos superiores na primeira parte Vítor Pereira investiu muito nos três pontos e tramou-se. Contra-ataque trofense fez o resto.
Pesado mas justo. O Santa Clara esteve por cima até ao momento em que Romeu Ribeiro fez o 2-2. Depois viu-se uma equipa com mais olhos que barriga, a correr de forma desenfreada (e descontrolada) atrás de nova vantagem. O resultado demonstra que o risco foi mal calculado e o Trofense, que teve sempre no contra-ataque a sua principal arma, acabou por construir um resultado que talvez peque por excesso mas que ninguém de boa fé poderá questionar.
Vítor Pereira lamentou os erros cometidos pela sua equipa. Percebe-se o seu desencanto (passividade do eixo defensivo no golo de Romeu Ribeiro, ingenuidade do guarda-redes no penaltysobre Reguila que o próprio converteu) mas, se calhar, o próprio treinador do Santa Clara também não ponderou bem as consequências que poderiam resultar da sua aposta declarada no ataque. A equipa insular desequilibrou-se e expôs-se demasiado ao contra-taque do Trofense — e nem pode dizer-se que o Santa Clara tenha sido surpreendido porque a equipa da casa investiu sempre nas transições rápidas (nos lançamentos longos para a corrida de Licá e, sobretudo, Reguila) para lançar fogo sobre a linha de trincheira contrária.
Resumindo: é pena este Trofense estar afastado da corrida pela subida, enquanto o Santa Clara exibiu credenciais de candidato... enquanto não desatou a dar tiros nos pés. Que lhe sirva de exemplo.
fonte abola

APELAMOS...

Apelamos à Direcção do Clube desportivo do Santa Clara


Acabam com as declarações à comunicação social

Acabam com as declarações dos jogadores

Acabam com as entrevistas de antevisão aos jogos


resultados da 28ª jornada

sábado, 24 de abril de 2010

MNIFESTAÇÃO, PELA DIGNIDADE DOS ADEPTOS...

SOMOS ADEPTOS! NÃO SOMOS CRIMINOSOS!
É esta a frase que servirá de divisa à manifestação nacional com fim a promover uma acção de sensibilização sobre os abusos de poder a que os adeptos, que se deslocam aos estádios semana após semana, estão sujeitos por parte de quem está responsável pela segurança dos recintos desportivos.
Sem querer descartar responsabilidades pela forma como deve agir cada adepto, e sem pretender justificar atitudes acusando outras entidades, como essas mesmas entidades fazem, pretende-se mostrar que a conduta aplicada para com os adeptos deste país, não é de todo a mais correcta, como aliás explica o texto deste manifesto, o qual podem fazer download aqui.
Nele é explicada, ainda, a forma a proceder para se participar na manifestação, assim como outros aspectos importantes da mesma.
O documento deve ser lido na integra, e deve ser seguido com o máximo de rigor por todos aqueles que pretendem estar ao nosso lado, não dispensando assim a leitura total do mesmo.
Este protesto pretende juntar mais que os grupos organizados de adeptos! Pretende-se que chegue a todos aqueles que de uma maneira ou de outra, já se sentiram de alguma forma tentados a abandonar as bancadas devido a uma postura cada vez mais anti-adepto de quem rege as leis do futebol.
Atitudes violentas de todos aqueles que participem devem ser evitadas na altura de fazer passar a mensagem. Se tal acontecer apenas irá servir para mais uma vez, certas entidades se descartarem de culpas e das suas responsabilidades e deveres.
Contamos contigo! Passa a mensagem e participa!

Claquesdeportugal

Podemos ganhar em qualquer lado


O Santa Clara está a preparar a deslocação ao estádio do Trofense sabendo que o avançado Leandro Tatu e o médio criativo Oliveira não podem jogar, após completarem uma sequência de cinco amarelos no campeonato. A importância dos dois atletas no rendimento da equipa é inquestionável, sabendo-se que o avançado foi utilizado em todos os jogos no campeonato, enquanto Oliveira apenas falhou a deslocação a Freamunde.
Vítor Pereira, treinador dos açorianos, de 41 anos, admite que Leandro Tatu e Oliveira "vão fazer falta", mas considera que o plantel "apresenta qualidade suficiente para os substituir e as alternativas vão mostrar uma boa resposta". Pereira diz que a equipa esta temporada "não está presa por arames", como aconteceu no final do último campeonato, e assume estar muito confiante na subida de divisão, devido à segurança apresentada pela equipa tanto a defender como a atacar.
Quando faltam três jornadas para o final, os próximos dois confrontos, ambos fora de casa, na Trofa e em Barcelos serão decisivos: "Complicadíssimos", diz Vítor Pereira, sublinhando porém que fora de casa o Santa Clara apenas perdeu com Oliveirense e Feirense. "Temos provado que podemos ganhar a qualquer equipa, em qualquer campo. Desde que existam bons campos e equipas a quererem jogar futebol, o Santa Clara está preparadíssimo. Às vezes temos dificuldades é com as equipas que jogam um futebol mais direto, em campos difíceis. Em campos onde se pode circular a bola, o Santa Clara é uma equipa perigosa".
fonte record

Na pista de Stopira...


A mudança de técnico programada para a próxima temporada, consequência da saída de Paulo Sérgio para Alvalade, não implica um corte radical com o projecto que estava a ser desenvolvido no clube vitoriano para a campanha de 2010/11.

Várias das ideias defendidas pelo ainda treinador do V. Guimarães, relativamente à selecção final dos jogadores que integrarão os quadros da equipa na época que se segue, têm um prazo de validade que se estende para lá de 9 de Maio, dia da última jornada da Liga e da despedida do actual staff técnico.

Emílio Macedo, Paulo Pereira e José Pereira, a “troika” responsável pelo futebol vimaranense, assinaram por baixo o parecer de Paulo Sérgio, nomeadamente, quanto à necessidade de ser reforçada a defesa. E com as iminentes saídas de Andrezinho (este lateral-direito de origem tem sido solução para o lado contrário, mas termina contrato) ou Leandro Silva (expira o empréstimo patrocinado pelo Benfica), não chega apenas contratar Ricardo (o pacense já tem acordo com os vitorianos, válido por duas épocas).

O corredor esquerdo sempre foi sector considerado deficitário, pois Milhazes nunca conseguiu convencer Paulo Sérgio, enquanto Bruno Teles, a outra alternativa, só recentemente mostrou o que vale (e não é pouco, como demonstra o interesse do Vitória em renovar o vínculo do brasileiro ex-Grémio de Porto Alegre).

A hipótese de encontrar no mercado um novo defensor esquerdino continua, assim, em vigor e há já uma solução que o V. Guimarães possui em carteira. Trata-se de Stopira, cabo-verdiano de 21 anos, que é titular do Santa Clara e de quem os minhotos recolheram excelentes informações, via observação directa de vários jogos dos açorianos.

Baptizado com o apelido do antigo internacional francês (lembram-se do Euro-84?), por ambos terem um nome próprio foneticamente semelhante (o africano tem Ianique no BI, enquanto o gaulês foi registado como Yannick), Stopira tem um ano mais de contrato com o Santa Clara e esse será o maior obstáculo a ultrapassar pelos vitorianos no sentido de garantir os serviços do caboverdiano, não obstante existirem relatos de Sp. Braga e Marítimo também serem visitas regulares em partidas do emblema ilhéu e pelos mesmos motivos do Vitória. Porém, se os açorianos falharem a subida à Liga — nas últimas duas épocas ficaram à porta... —,não surpreenderá que o lateral troque a ilha de S.Miguel pelo Minho.

Leia mais na edição impressa de A BOLA

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Gonçalo tem sido talismã


Nos oito jogos em que foi titular o Santa Clara não perdeu. Está emprestado, mas só pensa ajudar a equipa a subir.
Depois de ter sido titular logo na 1.ª jornada, Gonçalo, defesa emprestado aos açorianos pela Académica, só regressou às opções de Vítor Pereira à 21.ª ronda, com a particularidade do Santa Clara nunca ter perdido para o campeonato sempre que o jovem foi aposta do técnico. Domingo, frente ao Trofense, o central de 23 anos deverá actuar de início e espera que a tradição se mantenha:
— Estamos confiantes e unidos. Não perdemos há sete jogos mas não dependemos só de nós. Porém, acreditamos que uma das equipas que ocupa os lugares de subida vai ceder pontos e se vencermos os três jogos de certeza que subimos.
O Gonçalo que agora é titular está diferente, para melhor, daquele que iniciou a temporada...
«Fui sempre o mesmo. Não foi por falta de qualidade ou empenho que não joguei mais vezes. A equipa tem andado sempre nos lugares da frente, sofre poucos golos e isso também dificultou a minha entrada», explicou.
Os bons desempenhos ao longo dos últimos dois meses permitiram-no segurar a titularidade e olhar para o futuro com novas expectativas, mas ele prefere esperar pelo final da temporada:
— O futuro não depende de mim e agora só estou concentrado em ajudar o Santa Clara a subir.
fonte abola

O adjunto de Vitor Pereira fez, ao início da tarde, a antevisão da partida do próximo domingo frente ao Trofense.


O Clube Desportivo Santa Clara joga na manhã do próximo domingo, pelas 10h15 dos Açores (com transmissão televisiva na Sport TV), frente ao Trofense.

Ao início da tarde de hoje, Filipe Almeida fez a antevisão da partida, que assume extrema importância na luta pela subida de divisão.

“Não pensamos em outro resultado que não seja a vitória. Sabemos que será um jogo difícil, frente a um adversário recheado de jogadores de qualidade, mas partimos com a clara ambição de conquistarmos mais três pontos”, disse o adjunto de Vitor Pereira.

Confiante, Almeida reafirmou a união do grupo de trabalho, dizendo que este se “encontra bem, forte e competitivo. Nota-se alegria neste plantel e, acima de tudo, muita solidariedade, principalmente táctica. Os jogadores sabem que têm de sofrer para podermos alcançar os objectivos a que nos propusemos e existe enorme confiança”.

Numa alusão à temporada anterior, o técnico afirma que “neste momento, existe menos desgaste, conforme se pode comprovar nos treinos”.

Sobre as ausências de Oliveira e Tatu, que não podem alinhar na Trofa por castigo, Filipe Almeida embora reconheça o valor e a importância que ambos têm na equipa, sublinha que “este ano temos mais opções. Qualquer jogador pode actuar, dando-nos garantia de qualidade, aliás conforme se comprovou na jornada anterior com o Nuno Sociedade”.

Ambicioso, e apesar do Santa Clara não depender só de si para poder subir, o treinador realçou que “se ganharmos os três jogos, acredito que iremos subir. Não nos vamos agora preocupar com os adversários. Temos é de estar concentrados em vencermos as nossas partidas”.

O Santa Clara viaja ao final da tarde para o Continente, onde permanecerá ao longo da próxima semana, em estágio, preparando já o jogo da próxima semana frente ao Gil Vicente. Antes, contudo, já no domingo, os encarnados terão pela frente o Trofense.

PB

Clube Desportivo Santa Clara

Santa Clara segue para estágio no Continente


O Santa Clara viaja esta tarde. No domingo, os açorianos defrontam o Trofense, para, no fim-de-semana seguinte, jogarem frente ao Gil Vicente.

O Santa Clara está a preparar com todo o cuidado a recta final da Liga Vitalis. Na terceira posição, a somente um ponto dos dois primeiros, os encarnados mantêm intactas as aspirações de subida ao primeiro escalão.
Nas próximas duas jornadas, o conjunto de Vitor Pereira realiza duas partidas fora de portas, frente ao Trofense, já no próximo domingo, e no fim-de-semana seguinte diante do Gil Vicente.
Desta forma, a comitiva encarnada permanecerá no Continente ao longo da próxima semana, tendo o treinador optado por fazer viajar todo o grupo de trabalho.
Danilo Rocha, Diogo Silva, Feliciano, Fofana, Gabi, Gonçalo, Hernâni, João Botelho, João Dias, Leandro Tatu, Lico, Matt Jones, Neto, Ney, Nuno Santos, Nuno Sociedade, Oliveira, Rincon, Renan, Ruy Netto, Stopira, Tó Miguel, Vitor Alves e Valter, são os elementos que integram o grupo que hoje viaja para solo continental.

JornalDiario

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Renan em dúvida para a Trofa.


Avançado sofreu uma pancada no pé direito e é reavaliado hoje pelo departamento médico
Renan, avançado brasileiro que deveria ser alternativa a Leandro Tatu (castigado) na frente de ataque no jogo com o Trofense, sofreu uma pancada no pé direito que o deixou inferiorizado fisicamente, embora a vontade do jogador lhe tenha permitido terminar a sessão.
No entanto, assim que o treino terminou, Renan recebeu assistência médica, fez gelo e será reavaliado na manhã de hoje para que se possa perceber se estará em condições de alinhar na deslocação à Trofa.
Apesar do contratempo, o plantel liderado por Vítor Pereira continua a preparar com entusiasmo a partida de domingo, que pode levar os açorianos a uma posição de subida, objectivo delineado para esta temporada.

fonte abola

As hostilidades começam no Sábado, pelas 11h15 (Sportv):

Feirense x Portimonense – A equipa da Feira joga a última cartada, no que à subida diz respeito, nos próximos 2 jogos, ambos em casa e contra candidatos à subida. Portimonense e Oliveirense. O Feirense terá de vencer a equipa de Litos para estar em condições de “ultrapassar” a Oliveirense na jornada seguinte. Para os algarvios, o empate, em princípio, já será um bom resultado. Até final do campeonato, o Portimonense recebe o Varzim e vai a Oliveira de Azeméis na última jornada.

Cerca de 24 horas depois, Domingo, também 11h15 (Sportv)

Trofense x Santa Clara – A equipa açoreana tem nas próximas 2 jornadas, 2 deslocações bastante difíceis. Gil Vicente e Trofense. Curiosamente, o Beira-Mar defrontou estas 3 equipas recentemente. Será muito complicado para a equipa de Vítor Pereira fazer o pleno , isto é somar 6 pontos. Cremos que 4 já será um bom pecúlio para o Santa Clara que fecha o campeonato em casa frente ao Aves.

Ainda no Domingo, pelas 16h, entram em campo Beira-Mar e Oliveirense, já conhecedores dos resultados dos adversário directos. Ambos jogam em casa, defrontando, respectivamente, Penafiel e Covilhã. A equipa de Lázaro já garantiu a manutenção, enquanto os serranos lutam arduamente para permanecer na Vitalis. Para os candidatos à subida só a vitória interessa. Sobretudo para a Oliveirense que nas duas últimas jornadas tem dois testes de fogo: Feirense (fora) e Portimonense (casa).

Quanto ao Beira-Mar, como já dissemos, é a equipa com calendário mais favorável. Penafiel e Carregado, em casa, são adversários acessíveis e julgamos que a lição Fátima»Freamunde está aprendida. A deslocação a Aves constitui o obstáculo mais complicado mas mesmo neste caso entendemos que os auri-negros têm todas as condições para, pelo menos, somar 1 ponto.

Assim, não acreditamos que qualquer dos candidatos some 9 pontos nas últimas 3 jornadas. O Beira-Mar é aquele que tem mais hipóteses tem de se aproximar ou igualar os referidos 9 pontos. Os jogos: Feirense x Portimonense (28ª), Feirense x Oliveirense (29ª) e Oliveirense x Portimonense (30ª) poderão servir para que estas equipas se anulem e abram o flanco para aqueles que consideramos ser os dois candidatos mais fortes à subida de divisão: Beira-Mar e Santa Clara. Não só pelo calendário mas também pela organização patenteada por ambas as equipas ao longo da prova.

mais-beira-mar

28ª jornada, Pedro Proença para o jogo Trofense vs Santa Clara

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Estamos na recta final...


Estamos na recta final do campeonato e mantemos o objectivo inicial, “a subida”, ao longo destes meses muito se falou, se criticou, muito se sonhou, sonho que se mantêm, e que eu acredito que será realizado no próximo dia 9 de Maio, assim espero.

Muitos meses, semanas, dias e horas de trabalho em prol do objectivo inicial, é hora de agradecer todas as edilidades que connosco ao longo desta temporada nos apoiou, não vou aqui mencionar nomes porque posso esquecer-me de alguém, por isso, em nome da Claque RED BOYS ON FIRE, fica aqui o nosso agradecimento pelo apoio prestado, sei que bati muitas vezes nas mesmas portas, solicitando apoio para os nossos projectos, mas tinha de ser, caso contrário não tinham-mos conseguido chegar até aqui.

Quero também agradecer a todo o Staf de segurança do estádio de S. Miguel, bem como aos agentes da PSP de Ponta Delgada.

Desde a reactivação desta claque em Novembro de 2008, até ao dia de hoje, só temos de lamentar uma coisa, e com muita pena minha, digo novamente, que, continuamos a ser visto como se fossemos criminosos, quero esclarecer de uma vês por todas que o nosso objectivo é pura a simplesmente fazer e criar um ambiente de festa em torno de uma partida de futebol, independentemente desta ser bem ou mal disputada, lamento também que hoje e dia muita gente não esteja preparada para encarar os dias de hoje tal e qual como eles são, é verdade que muitos criticam a nossa forma de ser, mas também estas mesmas pessoas nada fazem para melhorar seja lá o que for, fica muito feio, e, é muito vergonhoso ouvir certas e determinadas pessoas a falar mal dos que lutem afincadamente por um objectivo que todos nós um dia poderemos vir a beneficiar.

Meus amigos, para estes últimos três jogos em falta, Trofense, Gil Vicente e D. Aves, muita jogada de bastidores irão surgir, preparem-se para isso, elas já começaram e até ao final da época irão continuar, sabe-se de fonte certa que muitos clubes estão a oferecer dinheiro para uns correr pouco e deixar o adversário vencer, como também prémios de jogos a jogadores de clubes adversários.

Vamos lá malta, contra tudo e todos vamos lá chegar, estaremos à vossa espera, aconteça o que acontecer.

red boys on fire

terça-feira, 20 de abril de 2010

Goleador de abril mora nos Açores


LEANDRO TATU EM FRANCO DESTAQUE

O Santa Clara foi o grande beneficiado da última jornada da Liga de Honra, já que aproveitou os empates de Beira-Mar, Portimonense e Oliveirense para ganhar novo fôlego na luta pela subida. Para tal foi preciso vencer o Freamunde, por 3-2, com Leandro Tatu a vestir a pele de herói ao apontar os 3 golos da equipa.

O brasileiro, de 27 anos, assinou o seu segundo hat-trick em Portugal cinco anos depois da estreia. A 17 de abril de 2005, o avançado ajudou a Naval a golear (6-1) em Portimão ao fazer três tentos na caminhada do clube da Figueira da Foz rumo à Liga principal do futebol português. É caso para dizer que o dianteiro fica com o faro pelo golo bem mais apurado durante o mês de abril.

Agora, Leandro Tatu persegue a mesma meta que atingiu ao serviço da Naval com o emblema do Santa Clara e já contribuiu com 13 golos. "É a época onde estou a marcar mais em Portugal, mas não penso muito nisso. É claro que é bom para um avançado fazer golos, mas apenas quero ganhar", refere o brasileiro, para quem a formação açoriana está numa boa posição para concretizar o sonho de regressar à Liga.

"Vamos jogar uma final de cada vez. Já estamos a pensar no jogo com o Trofense, porque pretendemos chegar à tão desejada subida. Faltam três jornadas e temos todas as condições para alcançar o objetivo", frisa Leandro Tatu.

Avisados

Ao longo da temporada, o técnico Vítor Pereira tem falado várias vezes da necessidade de acabar bem a temporada, de forma a evitar a repetição do sucedido em 2008/09. "O ano passado, infelizmente, não conseguimos subir, mas aprendemos com os erros, estamos mais maduros e prontos para subir", garante Leandro Tatu.

E, de facto, em São Miguel ninguém quer sequer pensar em nova desilusão mesmo em cima da linha de meta.

Record

Rincon e Gonçalo marcaram presença na sala de imprensa do Estádio de S. Miguel


O avançado e o defesa central marcaram presença, ao final da manhã, na sala de imprensa do Estádio de S. Miguel.

O Clube Desportivo Santa Clara prepara-se para encarar as últimas três partidas da Liga Vitalis, numa altura em que a luta pela promoção está ao rubro.

Ao final da manhã de hoje, Rincon e Gonçalo marcaram presença na sala de imprensa do Estádio de S. Miguel, onde, perante os jornalistas, abordaram o que falta da temporada.

Em dia de aniversário (completa hoje 33 anos), Rincon afirmou que a melhor prenda que poderia ter seria a subida de divisão. “Não só para mim, mas para todo o grupo de trabalho, o melhor presente seria subirmos à primeira liga. Estamos todos a trabalhar para atingir este objectivo”.

Desvalorizando os resultados averbados pelos adversários no passado fim-de-semana, o avançado preferiu sim enaltecer a vitória conquistada frente ao Freamunde, concentrando atenções já na partida contra o Trofense. “Será mais um jogo complicado, o qual vamos enfrentar com humildade, mas com o firme propósito de trazermos os três pontos”, afirmou Rincon.

Gonçalo, por sua vez, reafirmou a união que se vive no grupo de trabalho encarnado. “O balneário está todo unido. Nesta fase final, não importa quem joga ou não. Temos de estar todos do mesmo lado. Se subirmos, ganhamos todos. É nisto que estamos focados”, realçou o defesa.

Numa análise individual, o companheiro de Danilo no centro da defesa encarnada disse que “desde o início sempre fui o mesmo. O Santa Clara fez um campeonato sempre entre os cinco primeiros classificados. A defesa esteve bem, como se prova por sermos um dos conjuntos com menos golos sofridos. Quando não jogava não era por falta de trabalho ou de qualidade, mas sim por opção do treinador e pelo bom momento dos meus colegas. Felizmente a minha oportunidade chegou e as coisas estão a correr bem”.

Sobre a partida com o Trofense, Gonçalo diz que o jogo é importante, mas não é crucial. “Não dependemos só de nós, mas se ganharmos os nossos jogos penso que os adversários irão perder pontos”, sublinhou.

www.cdsantaclara.pt

PB


PARABÉNS RINCON

Rincon Celebra hoje o seu 33º aniversáro
Parabéns Rincon

Nasceu a 20 de Abril de 1977

Comecei a ver jogos no Jácome Correia há perto de 40 anos

Caros amigos da Redboys on fire:
Fiquei muito sensibilizado com a carta aberta do Tiago Oliveira ao nosso treinador e gostava que publicassem um pequeno texto, que é a minha modesta homenagem.
O que mais alegria me poderia ser proporcionado seria este ano subirmos de divisão e estou muito confiante que tal venha a ser possível.
Mas se isso ainda não se concretizar este ano, o que mais alegria me daria seria a continuidade de Vítor Pereira ao comando da nossa equipa. Guardo na minha carteira uma cópia duma pequena notícia saída no jornal "A bola" após a vitória no Estoril no ano passado na qual Vítor Pereira nos agradeceu, aos que lá estivemos. Depois disso já estive, com um grupo de aguerridos apoiantes, em Santa Maria da Feira, Cartaxo, Fátima, Estoril, etc ect, nos restantes jogos tambem lá estarei, Trofa e Barcelos.
Trabalho no Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra)e tenho lá emolduradoas fotografias e os autógrafos do nosso treinador, generosamente dadas após aqueles jogos.
Comecei a ver jogos no Jácome Correia há perto de 40 anos e desde essa altura que continuo a apoiar o grande Santa Clara, primeiro em Ponta Delgada e desde que subimos, no Continente, onde vivo há 30 anos.
Estou muito confiante que iremos subir este ano. A minha família e os meus amigos - Açoreanos, Continentais e até um Espanhol - continuaremos a apoiar a equipa nos jogos fora.
Um grande agradecimento ao nosso Presidente, a Mário Baptista, aos restantes dirigentes, à equipa técnica, aos jogadores e ao GRANDE TREINADOR VÍTOR PEREIRA.
Faço um grande apelo: VÍTOR PEREIRA, CONTINUE NO SANTA CLARA POR MUITOS E BONS ANOS. VOÇÊ DEVOLVEU-NOS A ESPERANÇA.

João Carlos Melo

Tatu no encalço da terceira subida


O seu passado fala por si, e o currículo não mente. As duas subidas, ao serviço da Naval e do Leixões, são um cartão-de-visita de Leandro Tatu, que parece estar preste a decorá-lo com uma terceira promoção. Aos 28 anos, a sua experiência conta dentro do balneário, e os feitos também, mas o brasileiro não se limita a ser apenas um talismã no Santa Clara, pois os 13 golos apontados falam por si, e o hat trick de domingo coloca os açorianos em óptima posição para abordar as três derradeiras finais. "Estamos felizes por tudo estar a correr bem. Estamos empenhados, e a subida seria um momento maravilhoso", afirma Tatu, cujo pensamento positivo espelha bem o ambiente dentro do balneário açoriano. Para o atacante brasileiro, Portugal, onde chegou há sete anos, já é uma segunda casa onde não se importava de terminar a carreira. "A verdade é que este país tem sido muito bom pra mim, quero evoluir na minha carreira, mas darei sempre prioridade a clubes portugueses", refere Tatu, que está a realizar a sua melhor época de sempre, e mais uma vez na Liga Vitalis. "Esta Liga tem sido a minha montra e, apesar de não ser a primeira, recordo que não é fácil vingar neste campeonato tão competitivo. No entanto, gostava de ter uma oportunidade na I Liga, onde só tive uma ainda", concluiu Leandro Tatu, que viu, frente ao Freamunde, o quinto amarelo e por isso estará de fora da visita ao Trofense.


"Uma luta boa e sadia"

Com 13 golos marcados, Tatu está empatado com João Silva (Aves) e Reguila (Trofense) no topo da lista de marcadores desta Liga Vitalis. O brasileiro está satisfeito por estar envolvido naquela que considera ser "uma luta boa e sadia". O atacante analisa mesmo os dois colegas de profissão que estão nessa luta. "Tinha trabalhado com o João Silva e já na altura se via que tinha qualidade. É um verdadeiro ponta-de-lança, com um faro apuradissímo. Quanto ao Reguila, é mais um avançado móvel, muito parecido comigo. Tem uma qualidade e experiência invejáveis", analisou o brasileiro, que garante que esta batalha "será até ao último minuto", com adversários "bons e nada fáceis".

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Hat trick de Tatu



Leandro Tatu abriu o livro

Foi com um hat trick de Leandro Tatu que o Santa Clara se aproximou da liderança. Os açorianos debateram-se ontem com um forte adversário que lhes complicou ao máximo a tarefa de vencer. Numa primeira parte em que a formação de Vítor Pereira criou situações de golo, os visitantes tentavam responder em contra-ataque.

Aos 27', Leandro Tatu abriu o livro, empurrando ao segundo poste o ressalto de uma bola cruzada por Nuno Santos. Logo a seguir, Tatu e Oliveira voltaram a criar perigo, mas foi o Freamunde a empatar graças a livre de Brandão. O Santa Clara seria premiado com novo golo nos descontos do primeiro tempo, num penálti marcado por Tatu a punir mão de Brandão. O festival Tatu encerrou no segundo tempo com um chapéu a Peraltinha. A equipa de Jorge Regadas respondeu por Marco Cláudio, reduzindo a desvantagem, mas o Santa Clara manteve o domínio e até poderia ter ampliado a vantagem. Má arbitragem.


Declarações

"Continuo a acreditar que este campeonato se vai decidir na última jornada e não antes

Vítor Pereira, treinador do Santa Clara


"Dificultámos ao máximo a tarefa do Santa Clara, que, para mim, é a equipa que melhor joga

Jorge Regadas, treinador do Freamunde


O Jogo


O CDSC deve ser visto como uma marca

Como adepto de futebol e acima de tudo como açoriano que sou, gostaria de exprimir a minha indignação pelo esquecimento de que o Clube Desportivo Santa Clara tem sido alvo por parte de muitos açorianos (particulares, empresas e autoridades) e especialmente por parte da comunicação social.
Sou estudante e residente em Lisboa no curso de Gestão e portanto já adquiri alguns conhecimentos designadamente a nivel de marketing que me levam a ter alguma opinião formada sobre o tema que me indigna. Apesar de não viver em São Miguel, acompanho diariamente publicações como o Açoriano Oriental ou o Correio dos Açores e programas como o Troféu ou o Teledesporto exibidos pelo único canal da Região, a RtpAçores.
A minha maior preocupação não se prende com o facto do Estádio de São Miguel que tem uma lotação a rondar os 15.000 lugares sentados, apresente uma média de espectadores a rondar, segundo uma visão optimista, os 650 espectadores por jogo. Este facto, que se verifica todas as semanas, advém do tal esquecimento mediático que o CDSC é alvo. Não consigo entender se tal esquecimento se relaciona com incompetencia por parte das entidades para a comunicação social, pela escassez de recursos (leia-se jornalistas) ou simplesmente pela deliberada vontade em esquecer um clube de futebol que representa toda uma região.

Não poderia tambem deixar expressar a minha revolta para alguma incapacidade que o clube apresenta, sobretudo em áreas como a comunicação e o marketing. O CDSC deve ser visto como uma marca, não só por ser uma organização que vive dos seus resultados a nível desportivo e que influenciam os resultados economicos, receitas de bilheteira, mas acima de tudo porque representa uma Região Autonoma com mais de uma centena de milhar de habitantes. É sem duvida o expoente máximo dos desporto na Região, a unica entidade que deveria ser capaz de mobilizar apoiantes para deslocações a Portugal Continental, a par do Candelária.
Apesar de ser notório um esforço significativo da actual direcção, encabeçada pelo Engº Cruz Marques, para revitalizar a instituiçao é também visivel que o focus na recuperação economica faz com que se meta de parte o essencial: o envolvimento da massa associativa. Em vésperas de um dos jogos mais importantes da época e secalhar da actual direcção do Santa Clara é incompreensivel que não se note qualquer movimento para encher o estádio. Ao contrário das grandes equipas portuguesas, as restantes equipas dos campeonatos profissionais sobretudo Liga Sagres e Liga Vitalis vêem-se na obrigação de comunicar e cativar adeptos para os estádios e o CDSC não deve ser excepção. O CDSC tem neste jogo, a oportunidade única de se colar de novo às duas equipas da frente, aproveitando o empate do Beira-Mar e esperando que o Portimonense perca pontos na deslocação de domingo á tarde. É, assim, necessário que os adeptos estejam mais do que nunca com a equipa. Têm sido duas epocas com resultados fantasticos (3º lugar em 2009/2010 e actual 4º lugar), mas nem mesmo assim o estádio apresenta uma moldura humana digna de tais resultados. Parece geral a ideia de que o Santa Clara joga mal e que a sua obrigação é estar na Liga Sagres. Isto não é verdade e é necessário comunicar tal mensagem. É incrivel poder ter o Santa Clara na luta pela subida de divisão depois de 4 anos a lutar pela sobrevivencia.

Relativamente à comunicação queria apenas realçar que as publicações desta semana do AO apenas ha referencia 1 vez ao jogo de domingo. Muitas dos açorianos acabam por nao sentir a importancia deste jogo, optando por ficar em casa ou ir passear para o Parque Atlântico. Na minha opinião, é necessário tambem ter um pouco em conta a importancia destes jogos para a Região e para o seu desenvolvimento. Deveria ser, sem duvida, uma das importantes metas dos responsaveis de empresas publicas e privadas, ver o Santa Clara na principal liga de futebol. Seria uma importante ajuda numa altura em que a conjutura económica não é a mais favorável e numa altura em q o turismo não cresce, numa região com imensa potencialidade neste sector.

É com pena que, sei que amanha é um dia fundamental na vida do CDSC e não vejo qualquer envolvimento emocional por parte das entidades regionais. Sei que há meia duzia de sócios e adeptos que vão sofrer com o resultado, os outros 1000 sairão do estádio insatisfeitos se o resultado for negativo. Se as politicas de comunicão e marketing funcionassem o normal seria estar a dizer que amanha, 7000 adeptos iriam sofrer pelo resultado. Relembre-se a recta final dos jogos da Olhanense a época passada e registe-se as constantes enchentes verificadas.

A minha palavra de parabéns para quem trabalha e rema contra a corrente para tentar fazer o Santa Clara um equipa que jogue bom futebol e tentar levar mais gente possivel no apoio à equipa, muitas vezes contra as suas reais possibilidades. É reconfortante ver adeptos dos RedBoyOnFire em estádios por Portugal fora. Parabéns a quem lidera esta claque.


Atenciosamente,


Miguel Rego

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Bora lá apoiar...

Ninguém descola da Liga


Equilíbrio, emoção, cinco equipas correm pela subida. Portimonense recolocou-se na zona verde da classificação, mas tem três jogos fora de casa. Últimas quatro rondas escaldantes.

LIGA VITALIS ao rubro, a prometer emoção a rodos até final, atendendo aos equilíbrios de forças e às distâncias pontuais, este ano invulgarmente curtas, entre contendores à subida de divisão. Faltam quatro jornadas para fechar as contas, doze pontos estão em jogo e tudo está em aberto, admitindo-se ainda muitas trocas de posição.
Conclusão que se pode extrair da análise das duas últimas rondas, tendo o Portimonense — era 4.º classificado à entrada para a 25.ª jornada — sido o que melhor respondeu às dificuldades que encontrou. Os algarvios fizeram o pleno, duas vitórias que recolocaram a equipa de Litos na zona privilegiada da classificação por troca com a Oliveirense, que depois de ter sucumbido em Barcelos (25.ª) perdeu a segunda posição que detinha desde a 22.ª jornada.
TRIO COM VIDA DIFÍCIL
Olhando para o grau de dificuldade que A BOLA estabaleceu e que abaixo se explicita, o Portimonense tem o calendário mais complicado, encerrando as quatro rondas finais três jogos fora de casa, dois deles com... Feirense e Oliveirense.
Equipas que, porém, não se podem rir. Aliás, o final de campeonato em Oliveira de Azeméis promete ser explosivo. Jogos com Feirense e Portimonense são duro teste para a grande sensação da prova, que, contudo, tem a seu favor o factor psicológico de nunca se ter assumido como candidata.
Já a equipa de Carlos Garcia, que tem andado sempre a rondar — desde a 2.ª jornada que não conhece uma posição abaixo do 5.º lugar —, é aquelaque tem de correr mais para anular uma desvantagem de cinco pontos, mas os jogos com algarvios e oliveirenses podem alterar o cenário.
FACILIDADES... TEÓRICAS
O Beira-Mar tem o calendário em teoria mais acessível, beneficiando ainda do facto de ter vantagem directa sobre três equipas. A excepção é o Santa Clara — também com jogos mais acessíveis —, mas neste caso se ambas as equipas terminarem empatadas ter-se-á de recorrer à diferença entre golos marcados e sofridos — neste momento a vantagem, embora ligeira, é dos açorianos —, depois dos empates a um golo em Aveiro e em S. Miguel.
fonte abola

Arquivo do blogue