Windows Live Messenger + Facebook

Chat

Este blogue é, e continuará a ser, um espaço de debate aberto e democrático sobre os assuntos do nosso Santa e da nossa Região. No entanto, não será admitido qualquer comentário que ultrapasse as regras do bom senso e da educação. Comentários insultuosos, ameaças e faltas de respeito para com os demais serão moderados, tendo a administração do blogue a autoridade e o dever de agir em conformidade contra os infractores - através de todos os mecanismos de protecção do mesmo. Saudações Santaclarenses RBOF

Resultado na hora

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

"É nos momentos maus que se vêem os líderes e o carácter dos atletas".


O treinador principal do Clube Desportivo Santa Clara compareceu, ao início da tarde desta sexta-feira, na sala de imprensa do Estádio de S. Miguel, para fazer a antevisão do jogo do próximo domingo, frente ao Varzim, a contar para a 21ª jornada da Liga Vitalis.

Visivelmente bem disposto, Vítor Pereira não se escusou, ainda, a analisar os últimos resultados dos encarnados.

Com os desaires frente à Oliveirense e Feirense ainda bem frescos na memória, o técnico referiu que “em ambos os jogos, os resultados acabaram por não corresponder àquilo que se passou em campo. Tanto em Oliveira de Azeméis, como em Santa Maria da Feira, o Santa Clara foi dono e senhor do jogo em largos momentos, acabando por pagar uma factura elevada pelos erros cometidos”. No entanto, diz, “o que vi, nas duas partidas, foi um Santa Clara agressivo e a trabalhar muito, apesar de termos apanhado dois relvados muito maus, no sentido de obter outro resultado”, reconhecendo novamente que “os erros nos têm penalizado em muito”.

No entanto, realça o técnico, “é nos momentos maus que se vêem os líderes e o carácter dos atletas. Neste momento, sinto o balneário unido, concentrado e confiante de que conseguirá alcançar os seus objectivos”.

Referindo-se ao próximo jogo, Vítor Pereira adverte que “o Varzim é uma boa equipa, que gosta de jogar um futebol rápido e bonito”, adiantando que os últimos resultados dos poveiros são “mais consentâneos com o valor dos varzinistas”.

Sobre o facto de não poder contar, para o próximo domingo, com jogadores como Rincón, Nuno Santos e Renan, o líder da equipa técnica realçou que “este ano, o plantel permite mais soluções”, reconhecendo, contudo, que “face às características do atletas que entrarão em campo, o Santa Clara terá de apresentar um futebol ligeiramente diferente”.

Depois, Vítor Pereira falou do que falta até ao final do campeonato, enaltecendo, mais uma vez, que “no toca à subida, tudo se decidirá nas três últimas jornadas, sendo que não creio que até lá alguma equipa vá descolar”, até porque, realça, “o campeonato está extremamente competitivo, embora tal não signifique que seja bem jogado”.

O treinador sublinhou, no entanto, que este ano “a equipa está mais fresca, muito por culpa da rotação que temos vindo a efectuar ao longo da prova. Estamos preparados para a luta e acreditamos na subida”.

Fazendo um mea-culpa, o técnico reconheceu que a desmobilização da massa associativa, “muito por culpa dos resultados menos bons que já averbámos em casa”, mas pediu para que esta acredite num Santa Clara que está pronto para os desafios que se avizinham.

“Precisamos do apoio de todos”, rematou Vítor Pereira.

PAREM E PENSEM!!!

Se parar para reflectir sobre vários assuntos do dia à dia, é, uma excelente forma de Vida, porque não parar para se reflectir nas palavras ditas no dia à dia.

PAREM E PENSEM!!!!

À quem soba na vida muito depressa, por vezes nem olha a meios, má! Muito má!!!, para se subir na vida com orgulho, temos de nunca nos esquecer quem somos e de onde viemos.

PAREM E PENSEM!!!

Reflectir sobre o nosso traço de vida é óptimo…

Orgulhe-se de si com o seu própio trabalho e dedicação a ele.

VIVA O SANTA CLARA

VIVA OS AÇORES

VIVA OS AÇOREANOS

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

"É tempo de dar a volta por cima e entrar num ciclo de resultados positivos”.


Feliciano e Lico compareceram esta quarta-feira na sala de imprensa do Estádio de S. Miguel, onde analisaram a actual situação do Santa Clara e aproveitaram para projectar a partida do próximo domingo, frente ao Varzim, a contar para a 21 jornada da Liga Vitalis.

Ambos os atletas alinharam pelo mesmo discurso: a equipa vai ultrapassar este momento menos positivo e entrar num ciclo vitorioso, que permita cumprir os objectivos a que os encarnados se propuseram esta temporada.

Numa breve análise aos últimos jogos, Feliciano afirmou que “a equipa tem realizado boas partidas, mas não temos sido felizes”, reconhecendo que têm sido cometidos alguns erros que “foram aproveitados pelos adversários”.

O médio enalteceu ainda que “apesar de termos saído derrotados nas últimas duas deslocações, tanto frente à Oliveirense como contra o Feirense, fomos superiores em largos momentos do jogo, sendo que, em ambos, ficámos com a sensação de que poderíamos ter ganho”.

Projectando já a partida frente ao Varzim, a realizar domingo pelas 16h00 no Estádio de S. Miguel, o atleta que cumpre a sua primeira temporada com a camisola do Santa Clara reconheceu a dificuldade da mesma, admitindo, todavia, que só a vitória interessa.

“Estamos numa fase crucial. É tempo de dar a volta por cima e entrar num ciclo de resultados positivos”.

Lico, que nas últimas partidas não tem constado das primeiras escolhas do técnico Vítor Pereira, declarou-se pronto para ajudar a equipa. “Estou a 100% e preparado para alinhar se assim o treinador entender”, disse.

Considerando que a situação actual não é boa, o extremo afirma que “o Santa Clara, pelo que tem feito, não merece ocupar o lugar onde está”, mostrando-se, contudo, convicto de que “domingo vamos ganhar”.

Lico realçou que “o Santa Clara é servido por excelentes jogadores. Infelizmente, em alguns momentos, não temos sido bafejados pela sorte”.

Não obstante, o jogador acredita que “os momentos maus não duram para sempre e, como tal, é tempo de dar a volta e começar a ganhar”, afirmando ainda que “não há adversários ideais para regressar às vitórias. Desta feita, vamos jogar com o Varzim e é neste opositor que nos temos de concentrar para conquistarmos o resultado que mais interessa: a vitória”.

A terminar, o brasileiro lançou ainda um repto à família encarnada para que esta não deixe de acreditar. Reconhecendo que a reduzida assistência no Estádio de S. Miguel é um factor de desmotivação para o grupo, Lico fez mão de um slogan muito usado por técnicos, jogadores e dirigentes do Santa Clara: “juntos vamos conseguir”.

Vamos lutar pelo lugar que merecemos

Perdemos uma batalha mas não perdemos a Guerra, continuamos na luta e só estamos a 4 pontos do Líder Beira Mar, não há motivos para tantos alarmismos como tenho constatado pela maioria da massa associativa, estou a ficar farto de tanto pessimismo por parte dos adeptos, ACREDITEM, é muito simples acreditar num projecto do qual se propus a actual direcção e equipa técnica, se actualmente a equipa não está melhor na classificação, digo que é por culpa da massa associativa que desde o inicio da temporada nunca acreditou nem apoiou a equipa nos jogos em casa, todos queram ver o Santa Clara na 1ª Liga mas ninguém quer ajudar!

MEUS AMIGOS, ainda vamos a tempo de apoiar a nossa equipa, deixem de criticar o trabalho que tem vindo a ser realizado e ponham mãos à obra, criticar é fácil, vencer já não é tão fácil como parece mas se nos unirmos tudo se tornará mais prático, vamos dar as mãos, vamos lutar pelo lugar que merecemos, vamos realizar nossos sonhos, vamos lutar pelos nossos projectos.

JUNTOS UNIDOS JÁMAIS SEREMOS VENCIDOS

redboysonfire@sapo.pt

Cantico

Vamos ao estádio

Vamos tu e eu

Ver o Santa clara sempre a vencer

A tua camisa

Um cântico meu

E a policia sempre a nos ver

Não trago fumos

Droga também não

Viemos aqui ver o Campeão

Como é que eu hei-de

Como é que eu hei-de

Como é que eu hei-de me ir embora

O Santa Clara sempre a Ganhar

E os Red Boys sempre apoiar

Lálálálálá lálálálálá lálálá lálálálálá

Lálálálálá lálálálálá lálálá lálálálálá

Lálálálálá lálálálálá lálálá lálálálálá

Lálálálálá lálálálálá lálálá lálálálálá

Iniciados Campeões Regionais


Excelente vitória no campo do Fayal Sport cidade da Horta da nossa equipa de Iniciados que nos deu o Campeonato Regional de Clube e o apuramento aos Campeonatos Nacionais.
Três importantes pontos alcançados a duas jornadas do fim do Campeonato Regional de Clubes que permitiram à nossa equipa de Iniciados sagrar-se Campeões. Estes jovens estão de parabéns assim como a sua equipa técnica, pelo excelente trabalho efectuado e merecem sem sombra de dúvidas este prémio pela qualidade evidenciada ao longo da Época.
As dificuldades para este jogo eram aguardadas e o factor surpresa do primeiro jogo já não era uma realidade. Talvez por isso o jogo fosse muito táctico e nem sempre bem jogado. Também as condições climatéricas dificultaram um pouco o trabalho de ambas as formações. Apesar destas condicionantes só a nossa equipa mostrou que queria ganhar a partida sendo premiada com um golo no final da partida.
Foi por isso um jogo de sentido único com a equipa adversária a jogar com as suas linhas muito recuadas na espreita do nosso erro, situação que não viria a acontecer uma vez a nível defensivo estivemos a um nível superior. Em termos ofensivos houve muita qualidade em criar as situações e nem tanto em termos de finalização. Por isso Rui Brilhante desaproveitou duas oportunidades, primeira por cima da barra e a segunda a embater no poste. Também o “capitão” Francisco Gomes não conseguiu materializar em golo as duas situações criadas.
Segunda parte a mesma dinâmica da nossa parte procurando situações que permitissem ao Fayal abrir mais espaços na sua defensiva. Para que tal fosse possível entrou no jogo um médio ofensivo e troca de ponta de lança. Saiu João Santos e entrou Dinis Simão trocando Sokota por Balaia que vieram trazer mais alento à equipa. Foi dos pés do avançado Balaia que saiu o golo da vitória ao aproveitar um ressalto de bola e colocando justiça no resultado final quando faltavam três minutos para terminar a partida.
A vitória assenta bem à equipa que mais a procurou e que só não conseguiu um resultado mais dilatado não por mérito do adversário mas mais por demérito nosso. No entanto o que se pretendia foi alcançado e sendo nos minutos finais acabou por ter um “sabor” especial… parabéns aos Campeões.
A equipa alinhou com: Hugo Viveiros; Bruno Lobo, Milton Melo e Diogo Brum; Rui Brilhante, Tomás Pereira e João Santos (Dinis Simão); Francisco Gomes, Miguel e Sokota (Balaia).
Resultado final: 0-1 golo de Sokota (67)
fonte cdsantaclara

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Lista de castigos Liga Vitalis

1 jogo: Basílio (Sp. Covilhã), Nelson (Aves), Danilo Oliveira (Chaves), Pedro Araújo (Beira-Mar), Luís Pedro (Freamunde), Gonçalo Abreu (Varzim), João Pedro (Portimonense), Nuno Santos (Santa Clara) e Renan (Santa Clara)

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Vítor Pereira tem que mexer na equipa

Há jogadores do Santa Clara claramente em baixo de forma e que a meu ver tê que sair da equipa! Urgentemente!

Falo de Stopira que ainda não me convenceu e falo de Leandro Tatu que neste momento está uma sombra do que é capaz de fazer. Ao rever o vídeo do jogo de ontem dá para perceber várias coisas!

1 - João Dias tem que jogar a central e não a defesa direito!

2 - O que se passa com Hernâni?

Se não está lesionado porque não joga a defesa direito. É o melhor defesa direito que nós temos! Tem que haver uma explicação para o facto de ficar de fora dos convocados!

3 - Depois de Ney e de Mat Jones terem jogador e terem cometido deslizes porque não apostar em Botelho! Chegou a hora de Botelho agarrar a titularidade!

4 - Stopira não sabe jogar com pressão. Em equipas rápidas como o Feirense, Stopira fica nas covas. Já disse e volto a repetir: Stopira é um bom extremo e um péssimo defesa! Estou farto de dizer isso!

5 - Oliveira está em preocupante baixa de forma. Quando ele não rende em campo, a restante equipa ressente-se disso.

No entanto, deve continuar a jogar porque nas bolas paradas é um perigo!

5 - RUY NETO tem que ser titular desta equipa. Quando ele entra em campo, a bola sai redonda dos pés dele e a equipa começa a jogar futebol! Gostava de saber porque Vítor Pereira não o coloca de início!

6 - Tatu está em nítida baixa de forma. Está cansado, está pesado e não consegue criar perigo e não consegue ser o parceiro que Renan precisa. O que fazer então? Para mim encostar Tatu no banco e apostar em LICO para jogar ao lado de Renan! Lico é um fantasista, um repentino e pode com a sua velocidade e entrega ao jogo ser o parceiro ideal de Renan! Gostava muito sinceramente de ver a dupla RENAN - LICO na frente de ataque já no próximo jogo do campeonato!!

Conclusão:

Vítor Pereira tem que mexer na equipa, se continuamos a jogar desta forma não chegamos la!!! Bem-haja a todos!!!

Tiago Oliveira

domingo, 21 de fevereiro de 2010

APOIA A NOSSA DESLOCAÇÃO...

PROXIMA DESLOCAÇÃO DO SANTA CLARA DIA 7 DE MARÇO ESTORIL vs SANTA CLARA, ALGUMA ENTIDADE DISPOSTA EM APOIAR A DESLOCAÇÃO DE UM GRUPO DE ADEPTOS NA AQUISIÇÃO DAS PASSAGENS AÉREAS?
redboysonfire@sapo.pt

sábado, 20 de fevereiro de 2010

O nosso orgulho é a nossa BANDEIRA

Quero fazer um apelo a todos os adeptos e simpatizantes do maior clube da Região autónoma dos Açores através deste blog em poucas linhas mas de forma que todos os que leram este alerta façam o favor de comunicar a muitos que de uma forma ou outra não têm acesso a esta leitura.

Actualmente são poucos os adeptos que acreditam no trabalho que todo o grupo do Santa Clara tem vindo a realizar, gostava muito de um dia poder ter o orgulho de dizer num lugar qualquer deste mundo que o Santa Clara tem uma massa associativa de excelência, mas com muita pena minha, começo a pensar que isso é quase como dizer “vivi um sonho” .

Meus amigos, queram um dia ter o prazer de dizer eu estive lá?, se querem, então comecem já a partir do próximo jogo em casa, fassam planos com a família, amigos e colegas de trabalho para nos últimos jogos do Santa Clara estarem lá no estádio a apoiar quem precisa do vosso apoio, façam isso pelo nome da nossa terra, pelo nome dos AÇORES, o nosso orgulho é a nossa BANDEIRA, sempre que viajo ou mesmo em casa que vejo na televisão nossa bandeira hasteada, sinto-me orgulhoso por aquele que a tem na mão, e é isso que eu desejo ver em todos os Açorianos, olhar para qualquer um e ver que ele tem orgulho em si e em ser Açoriano.

O futebol actualmente é um meio de comunicação muito importante para o nosso desenvolvimento, precisamos desenvolver mais e para melhor, acho que subindo à liga principal do futebol Português só vejo uma coisa, desenvolvimento na nossa região, queres melhorar o nosso meio de vida? se queres então apoia quem anda a lutar para isso, o Santa Clara.

Não posso deixar de falar num assunto que me tem incomodado muito.
Solicito às entidades responsáveis para respeitar todos os adeptos que se desloquem ao estádio para apoiar o Santa Clara, todos os que lá vão é para e simplesmente ver uma partida de futebol e passar uma boa tarde se possível sair de lá satisfeito com um bom resultado ou com um bonito jogo de se ver e recomendar, não queremos ou não quero mais sair de lá com o sentimento de ter sido mal recebido e mal compreendido pelas entidades competentes.

A todos as maiores felicitações e sucessos com o projectos futuros e risonhos

Saudações Desportivas

Red Boys on Fire

redboysonfire@sapo.pt

Cântico

Quero te ver sempre a ganhar

Estamos aqui pra te apoiar

A gritar e a cantar

Os Red Boys é sempre a Dár

Lá…lálálá

Lá…lálálá

Aconteça o que acontecer

Estamos aqui é pra Vencer

Red boys

Lá… lálálá

Lá…lálálá

QUEM É?


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Vítor Pereira rejeita ansiedade

Vítor Pereira, rejeitou hoje que a sua equipa tenha motivos para "ansiedade" no jogo de domingo com o Feirense, da 20.ª jornada da Liga de Honra, alegando faltar ainda "muito campeonato".

"No jogo de domingo [em Santa Maria da Feira] não ganhámos nem perdemos o campeonato, independentemente do seu resultado", afirmou o técnico dos "encarnados" de Ponta Delgada, numa conferência de imprensa no Estádio de S. Miguel.

Com 32 pontos - os mesmos da Oliveirense, menos três do que o Portimonense e a quatro do líder Beira-Mar - o Santa Clara ocupa a quarta posição na classificação da Liga de Honra, sendo seguido do seu adversário de domingo, com 29 pontos.

Se perder o jogo em Santa Maria da Feira a equipa açoriana é apanhada pelo Feirense. Embora considerando essa possibilidade, Vitor Pereira disse não haver motivos para "ansiedade", sendo certo que a promoção à Liga Sagres só será conseguida "no último ou no penúltimo jogos".

Na lista de convocados do Santa Clara para o encontro de domingo regista-se a entrada de Matt Jones, Tó Miguel e Vitor Alves, e as saídas de Fofana, Gonçalo e João Botelho. Nuno Sociedade e Rincon continuam lesionados.

Lista de convocados:

Guarda-redes: Ney e Matt Jones

Defesas: João Dias, Danilo, Diogo Silva, Stopira e Vítor Alves

Médios: Ruy Netto, Valter, Neto, Gabi, Oliveira e Tó Miguel

Avançados: Lico, Leandro Tatu, Feliciano, Nuno Santos e Renan.

O que é um Avançado?

O texto que se segue tem por objectivo esclarecer aquilo que é ou deve ser um avançado. Serão postuladas algumas teorias e denunciadas algumas falácias típicas. O texto estará dividido por secções, mas todo ele será atravessado pela tentativa de resposta à pergunta "O que é um avançado?"

Um Avançado Não serve para fazer Golos


A resposta à pergunta pode parecer intuitiva, mas estou certo de que pouca gente saberá, com exactidão, a relevância específica da posição. A teoria mais convencional consiste em afirmar que um avançado é ou deve ser o responsável pela conclusão dos lances de ataque da sua equipa. Essa teoria não só não faz sentido como também põe a nu as fracas competências analíticas de quem quer que a defenda. Segundo esta doutrina, um avançado serve para marcar golos, como se os golos - esse acontecimento tão especial e único - não devessem ser antes um objectivo geral da equipa. Os defensores desta teoria jamais se podem livrar da terrível concepção de que os jogadores de uma equipa têm funções específicas em campo. Ainda assim, há quem queira defender as duas coisas, não percebendo a incoerência do que defendem. Se um avançado serve para fazer golos, então um médio serve para construir jogadas de ataque, um defesa serve para defender e um médio-ala serve para ir à linha cruzar. Isto é rudimentar e está de tal modo ultrapassado que só um amigo de Jaime Pacheco pode defendê-lo e ainda assim achar que está certo. Mesmo assim, há quem ache que os jogadores não devem ter funções, mas que depois ceda à tentação de classificar um avançado pelos golos que marca. Além de incoerente, este é um comportamento estúpido.

Um avançado não só não serve para marcar golos como não pode, de maneira nenhuma, ser avaliado segundo a competência que denota nesse capítulo. Tudo porque as coisas têm de ser contextualizadas. Por exemplo, um avançado pode marcar muitos golos porque simplesmente não se preocupa com mais nada. Isto não faz nem pode fazer dele um jogador extraordinário. Do mesmo modo, um avançado pode fazer poucos golos porque passa maior parte do tempo a procurar servir a sua equipa de outra maneira. O seu registo pouco impressionante não pode, também, servir para caracterizar a sua qualidade geral. Um avançado que não marca golos pode ser o jogador mais influente da sua equipa. Tudo depende do seu desempenho geral e não de dois ou três lances numa partida. Aqueles que não são capazes de perceber isto devem interromper a leitura imediatamente. Certos saberes não podem ser adquiridos por toda a gente.

Saviola: o melhor Avançado da Liga Portuguesa

Falemos agora um pouco mais concretamente. Actualmente, poucos se atreverão, certamente, a dizer que Saviola não é o melhor avançado desta Liga. Falarão até, muito provavelmente, nas coisas certas, nos movimentos sem bola, na capacidade técnica, no improviso, na inteligência, na capacidade para se movimentar entre linhas e para tabelar com os companheiros. Tenho, porém, sérias dúvidas de que existisse tamanho consenso caso Saviola não tivesse marcado já bastantes golos, embora continuasse a ser extraordinário em tudo aquilo que se lhe reconhece. Por aqui, desde muito cedo que afirmámos que o avançado argentino era o melhor da Liga, numa altura em que Cardozo e Falcao se destacavam na liderança dos melhores marcadores e ele tinha ainda, apenas, dois golos obtidos. Não precisámos que Saviola marcasse a quantidade de golos que já marcou para lhe outorgarmos esse estatuto e continuaríamos a defender esta posição mesmo que o argentino continuasse sem marcar golos. Aquilo que Saviola faz em campo é tão extraordinário que, mesmo retirando os golos que tem marcado, não há ninguém ao seu nível. Saviola é avançado e não é pelos golos que marca que é o melhor avançado da Liga. Se, por azar, não tivesse nenhum golo obtido, continuaria a sê-lo.

Aquilo de que duvido é que a maioria das pessoas que reconhece valor ao argentino consiga ser isenta ao ponto de defender o mesmo nas circunstâncias em que apresentei, ou seja, no caso de ele não ter qualquer golo marcado. O que estou a dizer é que, consciente ou inconscientemente, maior parte das pessoas faz depender o valor que reconhecem em Saviola não de tudo o resto que falei mas dos golos que marca. Sem os golos, não teriam focado a atenção no argentino e não teriam reparado em tudo o resto e na relevância de tudo o resto. Isto não faz sentido. No fundo, é dizer que Saviola vale por tudo aquilo que foi referido, mas ter usado a bitola dos golos para lhe avaliar a competência. Estou certo que há pouquíssimas pessoas que entendem realmente o que é um avançado. Aquilo que vou fazer de seguida é tentar definir, com o grau de precisão que for possível, aquilo que deve ser um avançado.

Requisitos de um Bom Avançado

A única diferença entre um avançado e um defesa, ou entre um avançado e outro jogador qualquer, é a posição relativa em que joga. Por posição relativa entendo o posicionamento em campo em função dos restantes companheiros. Um avançado é, portanto, por definição, um jogador que joga numa posição mais avançada, em relação aos colegas. Isto em teoria, porque na prática, dependendo das situações do jogo, o seu posicionamento pode oscilar. Muita gente acha que, por ser o jogador que, teoricamente, joga mais avançado, deve ser aquele que deve ter por missão fazer golos, uma vez que está mais perto da baliza do que qualquer outro colega. Isso é, contudo, uma forma simplista de ver o jogo. O futebol é tudo menos um jogo simples e um avançado tem mais para fazer em campo do que ser o elemento mais avançado de uma equipa. O futebol, jogado como um todo, não pode estar refém de jogadores com funções específicas; uma equipa, para fazer golos, não pode estar refém do seu atleta mais adiantado. Tem de ser capaz de tornar complexo o seu jogar a ponto de ser absolutamente indiferente quem faz ou não faz os golos.

Um avançado serve para tudo o que outro jogador qualquer serve. Acontece, porém, que o estar numa determinada posição relativa em campo faz com que participe mais vezes numas situações e menos noutras. Deste modo, um avançado estará muito menos vezes de frente para a baliza adversária do que um defesa, pelo simples facto de que, na maior parte do tempo, o jogo está a ocorrer atrás de si. Assim, jogará muito mais vezes de costas para a baliza adversária e será quase sempre de costas para a baliza que será solicitado. Um avançado que se preze, numa equipa que jogue ao ataque, tem portanto de ser competente na maior parte das vezes em que é solicitado. Se maior parte das vezes em que é solicitado está de costas para a baliza e com adversários à ilharga, tanto mais competente será o avançado quanto melhor for a jogar de costas para a baliza, a servir de apoio vertical, a baixar no terreno para tabelar, sem se virar para o jogo. Ao avançado não se pede que seja capaz de ter uma visão periférica porque na maior parte das vezes deve estar preocupado, isso sim, em movimentos de aproximação, em perceber onde estão os colegas mais próximos e em proteger a bola. Ora bem, um bom avançado não é, portanto, um avançado que faça muitos golos. Quem pensar isto, está equivocado. Um bom avançado é alguém capaz de servir de apoio vertical, capaz de baixar no terreno para tabelar, capaz de proteger a bola, capaz de encontrar com celeridade um companheiro perto de si. Um avançado que recebe a bola de costas para a baliza e que a perde invariavelmente, que se vira mais vezes para o adversário do que procura jogar de frente, que não é capaz de encontrar soluções de passe com rapidez e que não sabe a importância de proteger uma bola, é um mau avançado pelo simples facto de, na maioria das situações, ser incompetente.

Numa equipa que joga ao ataque, as competências mais importantes num avançado são estas. A razão é simples e tem a ver com a quantidade de vezes em que as solicitações exigem essas competências. Naturalmente, um avançado não é só solicitado desta forma. Mas uma vez que esta é a forma geral em que mais vezes é solicitado, é um contrassenso imaginar que um avançado que não seja competente nesse aspecto possa ser um grande avançado. Um avançado que - imaginemos - é incompetente em 80% das situações em que é solicitado não pode nunca, por melhor que seja nos outros 20%, ser um grande avançado. Ainda assim, é talvez importante referir de que outras formas pode um avançado ser solicitado e de que outras formas pode ser competente. Sem bola, pode ser útil na forma como se movimenta de modo a arrastar marcações ou a desviar atenções, a esticar a equipa adversária ou a fazer diagonais para permitir linhas de passe aos colegas. Pode ainda ser solicitado através de cruzamentos e pode ser mais ou menos competente a atacar zonas de finalização. Há, no entanto, uma pequena ressalva a fazer em relação a isto.

O Melhor tipo de Avançado

Muita gente não percebe isto, mas penso que é algo que só a muito custo pode ser negado. Muitos dos avançados que passam maior parte do tempo preocupados em movimentos de aproximação, em servir de apoio vertical, em baixar para tabelar com um colega, não têm depois tempo para acorrerem ao cruzamento que toda a sua participação anterior tornou possível. Muitas vezes, quando um avançado baixa para que a equipa consiga desbloquear uma situação no meio-campo e a jogada prossegue e exige uma finalização, o avançado que antes baixara no terreno e possibilitou todo o desenho subsequente não é capaz de chegar à área em condições de atacar as melhores zonas de finalização. Isto é assim por definição. Como tal, é natural que um jogador que não tenha as preocupações anteriores, que não baixe no terreno e se mantenha bem posicionado e concentrado unicamente no ataque das zonas de finalização, seja capaz de marcar mais golos. O que é importante, porém, perceber, é o que é mais útil para a equipa: contar com um avançado que marque mais golos ou contar com um avançado que participa melhor na manobra ofensiva da equipa. Eu não tenho quaisquer dúvidas. Um avançado que esteja preocupado apenas em marcar golos, por mais competente que seja nesse aspecto, faz com que a equipa esteja permanentemente coxa, a jogar com um elemento que não se dá a mostrar, que não procura ser solicitado senão para finalizar.

Isto não é apenas uma questão de preferência. Não é só o facto de preferir um tipo de avançado em detrimento de outro. Trata-se de perceber que um tipo é melhor que o outro porque permite mais coisas à equipa do que o outro. Um avançado não serve para marcar golos e um avançado que só seja competente a marcar golos é um mau avançado. Ponto final. Pode ser melhor que um avançado que também só seja competente a marcar golos, embora não tão competente, mas é sempre inferior a um avançado que seja competente no resto, ainda que não seja tão competente a marcar golos ou, simplesmente, que a sua competência de goleador seja afectada pelo facto de estar mais interessado em outras competências.

Ibrahimovic e a Ausência de relação causal entre Eficácia Colectiva e Avançados Goleadores

Não há, talvez, melhor exemplo para demonstrar a razão do que digo que o do melhor avançado do mundo. Na melhor equipa do mundo, o melhor avançado do mundo, Zlatan Ibrahimovic, não marcava há 2 meses e meio. Voltou a marcar esta semana. Repito: não marcava há 2 meses e meio! E é o melhor do mundo. E joga na melhor equipa do mundo. E o que é extraordinário é que o jejum de golos do sueco coincidiu com o melhor período do Barcelona esta época. Neste período, o Barcelona ganhou praticamente todos os jogos, goleou mais vezes do que o tinha feito até aqui e jogou muito bem. Mais extraordinário ainda é que Ibrahimovic foi quase sempre dos melhores em campo. Esteve excelente na forma como contribuiu para o jogo de posse da equipa e foi, sem dúvidas, dos principais responsáveis pelo esmagador caudal ofensivo apresentado. O Barcelona não precisou que Ibrahimovic fizesse golos para vencer e para jogar bem; precisou, isso sim, que Ibrahimovic contribuísse para a competência ofensiva da equipa, para que a equipa, enquanto equipa, fosse capaz de atacar bem e de criar situações de golo. Durante este período, Ibrahimovic não marcou golos, mas o futebol do Barça melhorou. Para quem esteve atento, as razões são simples. Ibrahimovic esteve excelente nos movimentos de aproximação, no abaixamento no terreno para funcionar como apoio vertical, nas tabelas. Com isto, o futebol atacante do Barcelona fluiu exemplarmente e a equipa conseguiu ser mais acutilante. Em termos individuais, este tipo de coisas talvez tenham prejudicado o pecúlio do sueco, pois acabou por sair das zonas de finalização mais vezes, mas a equipa agradeceu. Um grande avançado, como o é Zlatan Ibrahimovic, é por isso muito mais alguém que propicia tais coisas à equipa do que alguém que faz muitos golos. O Barcelona - repito - esteve imparável, e Ibrahimovic, o único avançado da equipa, não marcou golos. É até irónico que, precisamente no dia em que voltou a marcar golos, o Barça tenha sido finalmente parado no campeonato. Nada poderia ser mais conclusivo: não existe qualquer relação causal entre um avançado que marca muitos golos e uma equipa eficaz. Uma boa equipa, que pratique um bom futebol, não necessita de ninguém em específico que marque muitos golos. Pensar o contrário trata-se de uma falácia absurda que os tempos modernos e o advento de modelos de jogo sofisticados como o de Guardiola ou - por que não dizê-lo? - o de Mourinho, nos seus primeiros anos, já deveriam ter erradicado.

Postiga, Liedson e a Irrelevância de um Avançado que faça golos

O que aconselho, por isso, às pessoas que continuam a achar que um avançado serve para fazer golos é que parem de dizer asneiras. Um avançado é muito mais do que alguém que faz golos e mesmo um avançado que não marque um único golo, numa prova inteira, pode ser um avançado muito importante na manobra da equipa. Para quem não consegue ver mais do que golos, para os cegos que seguem cegamente o fenónemo futebolístico, Hélder Postiga, que não marca há não sei quanto tempo, é um mau avançado. Além de isto ser francamente estúpido, porque ignora que, noutras alturas, Postiga já fez bastantes golos, é uma forma simples de avaliar um atleta. Não conseguem perceber o quanto o futebol do Sporting ganha com um avançado que faz o tipo de coisas que Postiga faz e, como não marca golos, apressam-se a injuriá-lo. A mais mordaz das respostas a este tipo de palermice está bem à vista de todos. Apesar de haver ainda quem o queira ignorar, é um facto indesmentível que o futebol do Sporting, desde que Postiga foi afastado, perdeu muita qualidade. Em Janeiro, quando, por sorte, Liedson esteve parado, o Sporting apresentou invariavelmente Postiga e Saleiro na frente de ataque. O que a equipa ganha com este tipo de jogadores foi aqui, atempadamente, anunciado: melhor circulação de bola, apoios verticais constantes, capacidade para segurar e entregar de frente, aproveitamento do espaço entre linhas. No último terço do terreno, o Sporting tinha jogadores que eram capazes de dar continuidade à troca de bola da equipa, jogadores capazes de propiciar mais soluções de passe e capazes de tabelar com os colegas. É inegável, para quem viu o Sporting jogar nessa altura, que a equipa tenha melhorado significativamente de qualidade. Na altura, referimos a presença destes dois avançados como a principal das causas para a melhoria que se registou. Além de a qualidade ter melhorado em relação ao passado e de a equipa ter apresentado um futebol como já não apresentava há já cerca de dois anos, o Sporting venceu também todos os jogos, entre eles um desafio frente ao Braga. Desde que Liedson regressou, o Sporting soma 1 empate e 5 derrotas, entre elas duas humilhantes goleadas ante os rivais. Nada poderia ser mais conclusivo, de novo. Junte-se a isto o regresso à ausência de ideias, a esterilidade dos processos ofensivos e a má qualidade, em termos gerais, do futebol praticado. O que mudou foi que o Sporting deixou de ter na frente, entre os defesas, um jogador capaz de dar continuidade ao processo ofensivo e passou a ter um jogador que raramente consegue dar continuidade ao que quer que seja e que só é útil no último toque. Com isto, o Sporting passou a jogar pior. Passou a não conseguir entrar no último terço do terreno com a bola controlada, como o fazia com Postiga; passou a perder mais bolas quando tinha de a trocar em espaços mais reduzidos; passou a viver mais do acaso e do improviso. Sugeriu-se, na altura, que a melhoria do mês de Janeiro tinha a ver com os adversários que o Sporting tinha encontrado, com a chegada de João Pereira e até com a mecanização das ideias de Carvalhal. Nada disto é verdade. O Sporting voltou a perder com o Braga e já encontrou adversários acessíveis aos quais não conseguiu ganhar, João Pereira manteve-se na equipa e as ideias de Carvalhal não deixaram de estar mecanizadas de um momento para o outro. O que mudou foi que o avançado que agora joga é completamente diferente do anterior e é alguém que não permite o mesmo tipo de coisas que o anterior. Sem Postiga, o Sporting é menos competente ofensivamente, joga pior, tem menos capacidade para ter a bola e torna-se uma equipa mais frágil. Não há como não reconhecer isto. Pode ganhar um avançado que faz alguns golos, mas perde capacidade de construir jogadas para golo. Pouco interessa que Liedson faça muitos golos se, com ele, a equipa é mais fraca. Postiga poderia nunca mais marcar golos na vida. Desde que continuasse a ter a influência que tem na manobra ofensiva da equipa, o Sporting seria sempre melhor com ele do que com Liedson.

A Mentalidade

Há quem ache ainda que, sobretudo num avançado, não fazer golos implica uma perda de confiança que afecta o seu desempenho geral. Isto não é verdade, como o comprova o exemplo de Ibrahimovic. Sobre a importância da mentalidade num jogador de futebol falarei brevemente. Para já, queria concentrar-me nesta ideia, que não faz sentido nenhum. Um avançado que valha pelos golos pode, de facto, sentir-se afectado se fica muito tempo sem marcar golos. Com o tempo, a ansiedade de voltar a marcar pode ser um factor emocional negativo, na hora de atirar à baliza. Mas achar que a ansiedade de não marcar golos implica um desempenho geral negativo é ridícula. O jogador pode sentir ansiedade quando confrontado com uma situação de finalização, mas dificilmente isso prejudicará o resto do seu jogo se tiver consciência de que, no resto, as coisas lhe têm saído bem. Basta olhar para os casos de Postiga e de Ibrahimovic. Talvez tenham denotado alguma ansiedade na hora de finalizar - sobretudo Postiga - mas continuaram excelentes em tudo o resto. A razão é simples. Ambos percebem a importância do resto das suas acções e não misturam as coisas. Aliás, estou plenamente convencido de que a reacção de Postiga ao facto de não marcar golos há tanto tempo passa por uma tentativa de se concentrar ainda mais naquilo em que é mesmo bom e que pode controlar, a sua inteligência, a sua capacidade para tabelar, para encontrar rapidamente soluções de passe, para jogar de costas para a baliza. Um jogador como Postiga, que sabe que é bom em determinadas acções e que não tem tido a felicidade de marcar, reage tentando estar mais concentrado naquilo em que se sente mais confortável. Talvez também por isso, por estar tão concentrado e preocupado com outras coisas, esteja tantas vezes longe das zonas de finalização. Postiga, ao contrário do que se pensa, não é mentalmente fraco. Se o fosse, todo o seu jogo se teria ressentido. Isso não aconteceu. Postiga tem reagido mentalmente bem, tal como Ibrahimovic o fez durante este período.

Uma coisa que demonstra que esta teoria não está certa é o facto de Postiga praticamente não usufruir de oportunidades de golo. É verdade que, as que teve, não conseguiu aproveitar. Mas não é um avançado que usufrua de muitas. Significa isto que Postiga não se mexe bem dentro da área? Não. Mexe-se bem. O problema é que não está tantas vezes em posição de atacar convenientemente as zonas de finalização porque passa mais tempo preocupado com outras coisas. A ausência de golos não provoca um abaixamento da confiança do jogador, como se pensa. Provoca, isso sim, que o jogador procure melhorar naquilo em que sabe que é bom, de modo a compensar a ausência de golos. Ao fazê-lo, acaba por, consequentemente, ter ainda menos oportunidades para marcar golos. Isto funciona sempre assim, em grandes avançados, em avançados com uma personalidade forte como Postiga. Funcionou assim com Ibrahimovic, também. Esta questão da mentalidade, portanto, é mais uma falácia que não tem qualquer fundamento.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Publicidade






JOGUEM POR AMOR À REGIÃO

1 - Estamos a entrar na fase decisiva do campeonato e na fase em que apenas os mais fortes conseguem resistir a tudo e a todos. Faltam sensivelmente 3 meses para o fim do campeonato e as aspirações do nosso clube permanecem iguais às que foram "sonhadas" no início do campeonato. No entanto, quero deixar claro que apesar de estarmos a apenas 4 pontos do primeiro lugar considero que a luta pela subida vai ser muito complicada. Complicada porque somos um clube pequeno de uma região pequena e quando comparados com os "tubarões do norte" (esta expressão significa capacidade de movimentação e de influência junto dos orgãos de poder da liga) como por exemplo a Oliveirense, o Feirense, o Trofense, sinto que, de facto, vamos ter a vida muito dificultada. Não gosto muito de escrever sobre o que se passa nos bastidores do futebol, prefiro antes escrever sobre os artistas da bola e da liderança/competência/trabalho/inteligência/mérito (refiro-me às qualidades inquestionáveis do mister Vitor Pereira) mas gostaria de fazer um apelo aos dirigentes do Santa Clara. Estejam muito atentos (repito: muito atentos!!) aos próximos jogos das equipas acima referidas! Isto porquê? Porque se, no final do ano passado, houve claramente jogadas de bastidores a envolver o União de Leiria e o Feirense, este ano pode acontecer muita coisa "suja" a envolver os clubes que lutam desesperadamente pela subida de divisão. Acho que não é preciso recordar aos mais esquecidos o que se passou com Alemão (guarda redes de grande qualidade que, tendo em conta os actuais guarda -redes do Santa Clara, nem precisava de se cansar muito para ser titular indiscutível) no final da temporada passada, nem a "vergonha" que eu vi com os meus próprios olhos em santa maria da feira quando perdemos, de forma inglória, a tão merecida e ansiada subida de divisão. Meus amigos, perder um jogo naquelas condições ainda deve tirar o sono a muitos dos actuais jogadores do Santa Clara. Foi mau demais!!!
Por isso, tenham muita atenção às arbitragens (porque será que os jogos da Oliveirense são semana após semana transmitidos pela Sportv?????)) e aos erros...infantis de jogadores que jogarem contra essas equipas!
Porque será que Alemão deixou escapar a bola no jogo com o Desportivo das Aves (jogo chave do ano passado) em casa e deu o golo do empate a este clube??? Hum... a bola devia estar molhada!
2. Nos últimos dias tenho evitado falar das opções do mister Vitor Pereira porque, acima de tudo, respeito o seu trabalho e a sua capacidade de escolher quem está em melhor forma. Sinto que não devo por em causa as suas opções semanais porque ele é que sabe com quem trabalha e quem merece jogar. No entanto, há uma dúvida que tenho permanentemente sempre que vejo quer a lista de convocados quer os jogadores escolhidos para jogar de início. Porquê mexer tanto?? O Santa Clara do ano passado tinha um onze base que raramente era alterado, salvo mudanças devido a castigo ou lesão. Este ano, estamos constantemente a mudar de guarda redes (ora joga Ney ora joga Mat Jones) e acho que o açoriano João Botelho merecia uma oportunidade. Não por ser açoriano mas por ser o único que ainda não jogou e por ser um guarda redes com alguma experiência nesta liga. Mister porque não apostar em João Botelho nos útimos 10 jogos do campeonato??? Relativamente à defesa, penso que temos jogadores de grande qualidade (a dupla João Dias - Danilo é inquestionável) mas volto a frisar que Nuno Sociedade, devido à sua experiência, merecia ser o dono do lado esquerdo da defesa. Para o lado direito da defesa, Hernani é, quanto a mim, o melhor defesa direito da liga vitalis. Quando estiver recuperado, tem que ser titular. Os lançamentos longos de Hernâni ainda vão resolver muitos jogos deste campeonato.
No que à linha média diz respeito, não percebo porque ora joga Tó Miguel ora joga Gabi ora joga Neto, ora joga Oliveira. Não percebo porque numa semana Tó Miguel é titular e na outra a seguir fica de fora dos convocados, não percebo porque Oliveira joga 2 jogos seguidos e depois encosta 1, não percebo porque Ruy Neto não é titular desta equipa (em Fátima a sua entrada em campo foi decisiva para a reviravolta), e para o lado direito do ataque já jogaram 5 jogadores diferentes: Feliciano, Fofana, Lico, Ruy Neto e Neto. Porquê mudar tanto?!?!
No ano passado, não me recordo de tantas mudanças no onze inicial. É verdade que este ano temos mais opções e temos um plantel mais numeroso mas mudar constantemente de convocatórias pode ser sinal de que algo não está bem. Espero estar errado e espero também que o mister, nos jogos que falta disputar, não mude tanto de equipa. Precisamos de um onze base que dê garantias de sucesso e de um onze base forte que entre em cada partida com o pensamento na vitória.
3. Gostei muito das declarações de Vitor Pereira no final do jogo com a Oliveirense. Apesar da derrota num campo tradicionalmente difícil, o treinador encheu o peito de ar e disse, perante as câmaras de televisão, que acredita neste plantel e acredita na subida de divisão. Eu digo o mesmo: acredito na subida de divisão. Apesar de continuar a achar que o futebol praticado pela equipa este ano está muito aquém do exibido a época passada, continuo a achar que este grupo de jogadores (mesmo com tanta mexida na equipa!!) tem potencial para chegar ao fim do campeonato e festejar, como eu espero, a subida de divisão. Além disso, temos um treinador ambicioso, jogadores que tinham lugar em qualquer clube de média dimensão da liga principal (falo de João Dias, Oliveira, Renan, Nuno Santos, Hernani) e uma direcção competente e empenhada.
No entanto, acho que temos maus adeptos. Adeptos que continuam a faltar aos jogos do santa clara, adeptos que acham que este clube não vale nada, adeptos que só vão ao estádio apoiar a equipa quando esta ganha, adeptos que não fazem o mínimo esforço para sair de casa e ir ao estádio puxar pela equipa. Estes adeptos, meus caros amigos, só vão estádio quando este clube estiver na liga sagres. Desculpem-me a espressão mas estes adeptos que referi são os chamados "adeptos parasitas". Só sabem falar mal mas quando o clube está na mó de cima e prester a subir de divisão, são os primeiros a dizer que são do santa clara desde que nasçeram. Os adeptos que merecem o meu respeito são aqueles adeptos que vão ao estádio, quer faça chuva, quer faça sol, são aqueles que domingo após domingo estão ao lado da equipa quer esta perca ou ganha. O verdadeiro adepto do santa clara não perde um único jogo da sua equipa quer esta jogue de manhã, à tarde e à noite. O verdadeiro adepto sofre pela sua equipa desde o início até ao fim do campeonato.
Olhem para o trabalho da claque "Red Boys on Fire" e vejam que eles nunca faltam. Eles, sim, representam os verdadeiros adeptos do santa clara. Parabéns "Red Boys on Fire" pelo vosso excelente trabalho em prol deste clube. Vocês, tal como a equipa, merecem subir de divisão.
Grande abraço a todos os verdadeiros adeptos do Clube Desportivo Santa Clara!
Tiago Oliveira

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Santa Clara com calendário apertado

Nas próximas quatro jornadas, os encarnados defrontam adversários de peso, como sejam o Feirense, o Estoril e o Portimonense.

Faltam onze jogos para terminar a Liga Vitalis, o mesmo é dizer que se está a entrar na fase das grandes decisões, no que toca à luta pela subida e descida. No caso do Santa Clara, o interesse reside na primeira. Neste momento, os encarnados estão na quarta posição – fora dos lugares de subida – a quatro pontos do líder (Beira-Mar) e a três do segundo colocado (Portimonense). Desta forma, está tudo em aberto, principalmente num campeonato que revela um enorme equilíbrio de forças.
Os próximos jogos poderão assumir, para o Santa Clara, um peso determinante, especialmente se tivermos em conta os adversários. Nas próximas quatro jornadas, a equipa de Vítor Pereira defronta o Feirense, o Varzim, o Estoril e o Portimonense, sendo que dois jogos serão realizados fora (Feirense e Estoril) e dois em casa (Varzim e Portimonense). Facilmente se percebe que são adversários de peso. Feirense e Portimonense são candidatos à subida, enquanto o Estoril é uma equipa recheada de valores individuais que, nas últimas jornadas, tem vindo a cair de rendimento. Todavia, a jogar na Amoreira, as dificuldades serão certamente acrescidas. Teoricamente, se bem que no futebol a teórica vale o que vale, o oponente mais simples será o Varzim.
Este ciclo começa já no próximo domingo, em Santa Maria da Feira. O jogo está marcado para as 10h15 (hora dos Açores) e terá transmissão televisiva na SportTv.
Espera-se uma partida difícil, até porque o Feirense está motivado depois de ter ganho, no passado fim-de-semana, ao Gil Vicente, em Barcelos.
O treinador Vítor Pereira terá de pensar bem na estratégia a apresentar de forma a poder sair do norte do País com um resultado positivo. O campo, contudo, não traz boas recordações aos encarnados. Foi ali, na última jornada da época passada, que o
Santa Clara perdeu o direito a subir à Liga Sagres, depois de uma derrota por uma bola a zero.
Desta feita, espera-se um desfecho diferente.

JornalDiario

Carnaval vivido pelos red boys on fire

Eis um exemplo de como os Red Boys on Fire encaram o futebol

Liga Vitalis: Quatro ao molho e um à espreita


A jornada 20, a ser jogada no próximo fim-de-semana, alberga dois grandes confrontos na luta pela subida de divisão, (Oliveirense-Beira-Mar e Feirense-Santa Clara) ambos disputados no distrito de Aveiro, com os palcos destas partidas (Santa Maria da Feira e Oliveira de Azeméis) separados por apenas 16 quilómetros.
Embora fiquem a faltar dez partidas após este fim-de-semana, a verdade é, que nesta jornada de frente-a-frente, estes quatro candidatos têm mais a perder do que a ganhar. Na verdade, o único que parece ter hipótese de ganhar alguma coisa nesta importante ronda é o Portimonense, equipa que recebe o Trofense, e pode saltar para a liderança em caso de deslize do Beira-Mar em Oliveira de Azeméis.
Mesmo que percam com o Trofense, os algarvios, que são até à data a equipa mais regular do campeonato - nunca estiveram abaixo do quarto lugar -, perdem apenas a vantagem pontual em relação aos perseguidores, uma vez que os seus 35 pontos garantem sempre a manutenção do segundo lugar. Desta feita, Litos parte para esta ronda sem grandes preocupações, apenas na expectativa de saber que lucro para si sairá das guerras lá no Norte.
Oliveirense, 3º lugar 32 Pontos
"Outsider" até quando?
É o que menos condições parece ter neste grupo que tenta a subida de divisão. A Oliveirense esteve sempre nos dez primeiros da tabela, no entanto, ao contrário do que seria de esperar, tem vindo a ganhar força, e uma vitória este sábado pode fazê-la sonhar.
Beira-Mar, 1º lugar 36 Pontos
Contra tudo e contra todos
Leonardo Jardim conduz certamente um forte grupo de homens, que nesta época - em que chegou a ser último - já resistiu a salários em atraso e até a alguma fome. Líder há cinco jornadas, é o mais forte candidato à subida, mas uma nova derrota pode abalar os alicerces aveirenses.
Feirense, 5º lugar 29 Pontos
Um plantel sem equipa
Reforçou-se com nomes de peso e tem, em teoria, o melhor plantel da Vitalis. No entanto, quer com Chaló, na primeira volta, quer agora com Carlos Garcia, o Feirense não conseguiu até agora ser uma equipa. O tempo escasseia e começa a não haver espaço para errar.
Santa Clara, 4º lugar 32 Pontos
Em busca de redenção
Sem grandes nomes e com recursos algo limitados, Vítor Pereira tem mantido o Santa Clara no radar da subida. Mas a hora das decisões está a chegar e, para alcançar a promoção, a equipa terá de deixar para trás os traumas da última jornada da época passada.
fonte O Jogo

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Os adeptos têm o direito de serem informados

Boa tarde pessoal

Faz falta um site como o Sportzoom! Alguém sabe se o Acácio Mateus tem algum projecto em vista? Neste momento não sei quem está lesionado, quem está recuperado, como decorre a preparação semanal do Santa Clara, como decorrem os treinos! Realmente é uma vergonha mas os meios de comunicação nos açores deviam falar mais do Santa Clara! Pois, se o clube estivesse na liga sagres estavam todos a bater à porta do clube a pedir entrevistas e matavam-se todos para divulgar notícias do nosso clube! Sinceramente é uma vergonha a comunicação social dos açores! Farto-me de pesquisar sites para saber informações actualizadas sobre o clube. Todos os adeptos do clube deviam saber que Hernâni está lesionado e por isso não foi convocado no último jogo! Como é possível não divulgarem uma notícia dessas! Eu não sabia que Hernâni estava lesionado, qual não é o meu espanto quando vejo que Hernâni ficou de fora dos convocados! Meus amigos, Hernâni é só o melhor defesa direito da liga vitalis! Enfim...

..Quando acabar o campeonato alguém que me diga!

Gostava de fazer aqui um apelo a um jornalista que sei perfeitamente que acompanha diariamente os treinos do Santa Clara: caro jornalista Acácio Mateus, eu sou adepto do Santa Clara e gostaria de ter informações actualizadas e diárias do meu clube na internet. Divulgue no seu site como decorrem os treinos do Santa Clara. Sabe caro amigo nem toda a gente compra o jornal A BOLA! Eu compro o jornal A BOLA porque sei que escreve neste jornal. Acredite que há muito boa gente que ficou triste com o encerramento do Sportzoom! Pense na quantidade de adeptos do Santa Clara que iam diariamente ao seu site. Tenho-o nos favoritos porque, apesar de estar encerrado, aguardo que algo novo surja! Peço-lhe que não desista do site e continue a deliciar os cibernautas com notícias diárias do nosso clube! Já agora alguém me pode informar sobre o boletim médico do clube! Porque do site do Santa Clara nem se fala! Deve ser o pior site de todos os clubes da liga vitalis!! Enfim... fico-me por aqui para não ferir susceptibilidades!

Muito sinceramente enquanto adepto do Santa Clara gostaria de saber como decorrem as recuperações de Hernâni, Sociedade e Rincon! Se alguém me poder informar...

Tiago Oliveira

Santa Clara 1 Carregado 0


Após dois jogos menos conseguidos era importante regressar às vitórias para continuar na linha da frente e manter os objectivos proposto no início da época.

A vitória pela margem mínima não traduz na realidade aquilo que a nossa equipa produziu durante os noventa minutos. O Santa Clara sabia que eram importantes os três pontos para se manter na linha da frente. A abordagem ao jogo foi feita de uma maneira inteligente, criando imensas situações de golo que por manifesta infelicidade não foram concretizadas.

Devido aos objectivos traçados no início da época e no seguimento de dois resultados negativos era de primordial importância ganhar este jogo contra o Carregado. No onze inicial surgiu o central Diogo Silva que fez a sua estreia nesta competição mostrando possuir qualidades para desempenhar as suas funções na equipa e ser mais um para ajudar. Também Ney de regresso à baliza e a São Miguel deu indicações de que a baliza do Santa Clara está bem “guardada”.

A nossa equipa entrou forte chamando a si o controlo da partida e chegou ao golo aos quinze minutos. A jogada foi pela esquerda com Stopira a cruzar para Oliveira rematar rasteiro fora do alcance do guarda-redes adversário. Golo bastante festejado pelos adeptos e que veio trazer outro ânimo e maior tranquilidade à equipa. Minutos volvidos Nuno Santos poderia ter feito o segundo quando estava completamente isolado mas o remate saiu ao lado. Também Renan podia ter chegado ao golo mas o remate não levou a melhor direcção.

Chegou isso sim o intervalo e com ele um resultado “curto” devido ao fato da equipa ter criado algumas e boas situações de finalização e não as ter concretizado. No entanto a entrega ao jogo, o querer e a vontade estiveram sempre patentes e foram demonstrativas de que a qualidade dos nossos atletas é mais do que evidente.

Para a segunda metade mais do mesmo, a equipa voltou a entrar forte com Nuno Santos por duas vezes a ter a possibilidade de ampliar o marcador e não o conseguiu. Depois o Carregado numa jogada fortuita quase chegou ao empate, na resposta Renan também falhou mais uma possibilidade de golo. Na parte final Neto e Leandro Tattu tiveram oportunidades mais do que evidentes para colocar um resultado mais dilatado e que condizia com o excelente trabalho que realizaram nesta partida.

O essencial fica que são os três pontos e que nos dão garantias e tranquilidade para jogo a jogo voltarmos aos lugares cimeiros. Lugares esses que são aqueles a que estamos habituados e que traduzem sem sombra de dúvidas toda a qualidade desta equipa. Equipa que trabalha com dignidade e que tem ambição sempre de querer e fazer mais e melhor.

Santa Clara: Ney, João Dias, Danilo Rocha, Leandro Tatu, Feliciano (Neto, aos 69'), Stopira, Diogo Silva, Nuno Santos, Oliveira (Ruy Netto, aos 87'), Renan (Fofana, aos 65') e Gabi

Resultado final: 1-0

Marcador: Oliveira (15)

Palma Rolim
foto A. Oriental

Arquivo do blogue