Windows Live Messenger + Facebook

Chat

Este blogue é, e continuará a ser, um espaço de debate aberto e democrático sobre os assuntos do nosso Santa e da nossa Região. No entanto, não será admitido qualquer comentário que ultrapasse as regras do bom senso e da educação. Comentários insultuosos, ameaças e faltas de respeito para com os demais serão moderados, tendo a administração do blogue a autoridade e o dever de agir em conformidade contra os infractores - através de todos os mecanismos de protecção do mesmo. Saudações Santaclarenses RBOF

Resultado na hora

domingo, 31 de outubro de 2010

Domínio e criatividade dão vitória merecida

O Santa Clara somou o segundo triunfo em casa e vincou sinais positivos de evolução. Moreira marcou e deu a marcar em mais um jogo onde não faltaram oportunidades de golo. O Santa Clara conquistou a segunda vitória consecutiva em jogos em casa no campeonato da Liga Orangina e vincou que está a subir de rendimento.

O jogo com o Belenenses mostrou um colectivo mais identificado com aquilo que o treinador pretende, mais entrosado entre os sectores e mais confiante nas transições ofensivas. O triunfo por 2-0 sobre o Belenenses em partida da sexta jornada é tão justo quanto merecido porque pertenceu à nossa equipa as melhores oportunidades de golo.

Ney, ao longo dos 90 minutos, não foi obrigado a qualquer defesa de recurso, o que dá conta do nosso rigor defensivo. Somente a primeira meia-hora não correspondeu ao desejado porque havia excesso de ansiedade nos jogadores. O desejo de trabalhar depressa e bem toldou os movimentos ao colectivo de Bruno Moura que demorou a pautar os ritmos.


Mas nesse período em que o adversário teve mais bola apenas num livre directo criou relativo perigo. A primeira ocasião de perigo protagonizada pela nossa equipa – um cruzamento de Monteiro para remate de Fajardo por cima – assinalou a inversão dos papéis, ou seja, o Santa Clara passou a assenhorar-se do domínio e depois de Fajardo ter tirado um cruzamento bem medido para o interior ao qual Moreira e Monteiro chegaram ligeiramente atrasados, surgiu o golo: canto de Alex e Moreira, na molhada, a desviar para o fundo das redes. Ainda antes do intervalo mais duas oportunidades para elevar a contagem, a primeira num contra-ataque conduzido por Monteiro que cruzou para Alex cabecear por cima e a segunda numa jogada individual de Monteiro que terminou com um remate fraco e à figura de Riça.


A toada do encontro não se alterou no segundo tempo, com o Santa Clara a procurar o golo da tranquilidade que só surgiu aos 85 minutos. Antes de Moreira assistir Platini para um remate forte e colocado já no interior da área, os encarnados criaram três boas jogadas de ataque que só não deram em golo por manifesta infelicidade. Decorria o minuto 71 quando Alex viu anulado um golo por pretenso fora-de-jogo e aos 72 foi Moreira quem rematou cruzado e rasteiro para ver o esférico sair rente à base do poste. Sete minutos depois o mesmo Moreira proporcionou defesa incompleta a Riça.


O Santa Clara cheirava o segundo golo que surgiu em mais uma jogada de Moreira que libertou no recém-entrado Platini. Este galgou terreno em direcção à área e desferiu um portentoso remate sem hipóteses de defesa para o guardião contrário. Estava confirmada a vitória mas ainda houve tempo para Baldé poder elevar a contagem mas Riça defendeu com dificuldades o remate do avançado.


No estádio de São Miguel, em Ponta Delgada, com arbitragem de André Gralha, de Santarém, o Santa Clara alinhou com: Ney; Vítor Alves, Diogo Silva, Ilic e Nelson; Jeferson, Gabi, Fajardo (Pacheco, 67) e Alex (Platini, 78); Monteiro e Moreira (Baldé, 88).
fotos/AO

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Eficácia ofensiva trabalhada em mais uma sessão de treino.

Bruno Moura não se cansa de trabalhar os aspectos ofensivos da equipa na esperança que os golos apareçam na devida correspondência à produção atacante da equipa.
A falta de eficácia no ataque tem sido uma das pechas da nossa equipa neste arranque de temporada e em consequência disso os resultados, principalmente os verificados fora de casa, não têm sido os mais consentâneos com aquilo que a formação orientada por Bruno Moura produz ao longo dos 90 minutos.
Alicerçado da defesa para o ataque, o colectivo encarnado consente poucos golos mas não tem marcado em número suficiente para alcançar o máximo de pontos desejados. Não por falta de oportunidades mas por manifesta infelicidade no momento da concretização.
Para que os golos apareçam em maior número, o nosso treinador não se cansa de trabalhar a vertente da finalização e no treino desta sexta-feira, dia 29, esse aspecto voltou a merecer destaque, tanto em futebol corrido como em lances de bola parada. Objectivo: elevar a capacidade de concretização da equipa.
Os jogadores, cientes de que o trabalho desenvolvido é de qualidade, trabalham com dedicação e confiança, procurando também eles o clic que nos tem faltado para subirmos na classificação da Liga Orangina para posições mais consentâneas com o valor que possui.

Governo dá garantias à APAF sobre IRS de árbitros


O Governo confirma que deu à Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) garantias de que o despacho conjunto das secretarias de Estado do Desporto e dos Assuntos Fiscais relativo ao IRS está “finalizado e aprovado” pelo Executivo.
Na quinta-feira foi dito aos responsáveis da APAF que “o despacho conjunto estava feito”, respondendo a uma antiga ambição daquela associação de que os jovens árbitros não tivessem de declarar IRS se os valores auferidos fossem muito baixos.
Através deste despacho regulamentador da bolsa de formação desportiva, foi “reiterado um acordo relativamente à questão fiscal que já estava inscrito na proposta de lei do Orçamento do Estado” para 2011, cuja negociação com os representantes dos árbitros remontava já a 2008.
Na quinta-feira, uma fonte da APAF disse à Lusa que o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Laurentino Dias, prometera à associação que hoje emitiria um despacho que resolvia parcialmente as reivindicações dos árbitros.
Segundo a mesma fonte, o diploma conjunto "ameniza o problema de natureza fiscal que afecta os jovens árbitros de futebol”.
A esmagadora maioria dos árbitros da primeira categoria tinham solicitado dispensa de dirigirem os jogos da 10.ª jornada da Liga principal, que incluiu um clássico FC Porto-Benfica, em solidariedade com os seus colegas dos escalões distritais e amadores.
Como forma de protesto contra o Regime Fiscal e o Código Contributivo da Segurança Social, os árbitros de futebol anunciaram uma paralisação no fim-de-semana de 6 e 7 de Novembro, numa iniciativa abrange juízes de outras modalidades, como o andebol e o basquetebol.
A iniciativa, promovida pela Confederação das Associações de Juízes e Árbitros de Portugal, foi decidida a 22 de Outubro, após uma reunião que contou com a presença de todos os Conselhos de Arbitragem Distritais de futebol.
A APAF deverá, no entanto, emitir um comunicado em resposta ao esclarecimento publicado na quinta-feira pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social sobre o Código Contributivo, cuja interpretação não é corroborada pelo organismo de classe dos árbitros.
O Ministério do Trabalho e Solidariedade Social afirmou que “a maior parte” dos árbitros de futebol deverá estar isenta da obrigação de contribuir para a segurança social como trabalhador independente.
Segundo o Ministério, quem se encontre inscrito num regime obrigatório de segurança social e aufira pelo menos 419,22 euros mensais de trabalho dependente não está obrigado a contribuir como trabalhador independente, desde que não atinja neste regime o “rendimento relevante” de 2512,32 euros por ano.
O esclarecimento ministerial, que considera terem-se verificado “várias confusões nas declarações proferidas” sobre a aplicação do novo Código Contributivo aos árbitros, garante que aquele código “não estabelece qualquer valor mínimo de desconto para a segurança social de 183 euros por mês, como vinha sendo referido nas notícias.
O Ministério afirma ainda que os trabalhadores dependentes que tenham rendimentos de trabalho independente entre 2515,32 euros e 5030,00 euros apenas pagam contribuições relativas a 1/12 avos do “rendimento relevante”.


video

Agradecimento

Exmº (s) /as) Sr. (s) (as)

 Em nome dos  Red Boys On Fire vimos, por este meio, agradecer a todos os Patrocinadores,  “passo a citar” Ourivesaria Azevedo, Açorserras, Mike`s Bar & Grill, Salsicharia Botelho, Nonacópia, Snack Bar Ruli, Carlos A. Sebastião, Clube D. Santa Clara, Junta Freguesia do Livramento, Sons & Objectos,  Oficina da Música, Restaurante Avião, Alexandre Ourives, Rádio Atlântida, jornal Correio dos Açores, jornaldiario.com, RTP/Açores, Açores Vip, Contratempo.com, Câmara Municipal Ponta Delgada, Creen Actracion, e a todos os restantes colaboradores deste mesmo grupo, o apoio prestado à nossa claque até ao momento, nomeadamente ao Festival de Música 2010.

Tratam-se de apoios fundamentais para que possamos continuar o trabalho que temos vindo a desenvolver dentro e fora de campo pelo que esperamos que esta parceria não se esgote com este apoio mas, pelo contrário, perdure por muito tempo.


NÓS SEMPRE...

NÓS ACREDITAMOS
E TU
ACREDITAS ?

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Uns gozam a grande e a francesa e os outros pagam as facturas

Longe vão os tempos em que "Pavões e companhia" se davam ao luxo de se deslocarem de Ponta Delgada para acompanhar os jogos do Santa Clara fora de portas e aproveitavam para alugar carros de luxo, hotéis de cinco estrelas e supostas mulheres de aluguer. Os jogos esses eram para inglês ver, claro. 
Naturalmente que a trabalhar dessa maneira nos destinos de um clube alguma coisa tinha de dar para o torto, estando à vista de todos os problemas e mazelas de outros tempos. É com alguma angústia e pesar que vejo os actuais dirigentes viver o dia-a-dia resolvendo problemas financeiros, estando em causa o nome do clube por causa de divertimentos e abusos. 

 Para o grupo de trabalho actual só tenho uma mensagem :
que continuem a lutar como até aqui têm vindo a fazer; em dois anos muita coisa foi resolvida e muita ainda irá e terá de ser resolvida sob pena de alguns começarem a saltar desta nau aparentemente desgovernada. Mas isso é compreensível, porque viver o dia-a-dia a ser massacrado pela comunicação social é duro e não é fácil, ainda por cima vindo à tona d´água notícias que não abonam nada em favor do clube. É por estas e outras que o Santa Clara não vai mais longe, quem trabalha é sempre criticado (pela negativa) e os culpados, os que deixaram ir tudo abaixo são constantemente elogiados, como o caso de um senhor que ainda há tão pouco tempo foi pagar suas quotas em atraso porque sabia que iria ser expulso do clube.

Na rádio existem quem tudo faz para destabilizar a Comissão Gestora, quando se sabe que o mesmo também tentou, e ainda anda a tentar, entrar para uma direcção do clube. Agora, penso eu para os meus botões, não seria mais correcto ser honesto e assumir suas intenções para com o Santa Clara ? É que se, de futuro, este senhor for eleito ou fizer parte de uma lista a candidatar-se, ficará muito mal visto por andar sempre a falar mal de A, B e C, muito menos quando utiliza uma rádio local para se auto promover...

Na Liga e em termos desportivos, como disse o nosso ex-treinador Vitor Pereira, estamos longe dos centros de atenção, eis uma das razões pela qual o Santa Clara tem vindo a ser penalizado duramente no que diz respeito a resultados. Basta relembrar a nossa recente eliminação da Taça de Portugal com um golo limpo.O árbitro assim o achou e para isso basta clicar aqui. Está à vista de todos o erro do árbitro. Enfim é assim que o Santa Clara luta para competições aonde só lideram Vilões e Ladrões.

Empenho e dedicação no trabalho

Jogadores entregaram-se de corpo e alma ao trabalho mesmo debaixo de chuva intensa. A atitude evidenciada em campo mostra que a confiança permanece intocável.
 
Os atletas que compõem o plantel sénior do Santa Clara sabem que só por manifesta infelicidade é que os resultados alcançados fora de casa não têm sido os mais desejados pelo que o grupo às ordens de Bruno Moura mantém a confiança no trabalho diário, convicto de que a sorte vai mudar.
A confiança, a motivação, a atitude e o carácter dos jogadores ficaram vincados em mais uma sessão de trabalho realizada na manhã desta quinta-feira, dia 28, que decorreu no relvado do complexo desportivo das Laranjeiras, debaixo de chuva intensa.
Apesar das condições climatéricas não serem as melhores, os atletas encararam com ânimo e confiança os exercícios propostos pelo treinador, não se poupando a esforços mesmo sob risco de com o terreno pesado e escorregadio sofrerem alguma lesão que pudesse colocar em risco a presença no jogo com o Belenenses.

Renan fora das contas de B. Moura para o jogo com o Belenenses

O avançado do Santa Clara sofreu uma rotura lombar e vai parar uma semana. Falha a partida com o Belenenses, relativa à sexta jornada do campeonato. 
 
Renan é ausência no ataque do Santa Clara para o jogo com o Belenenses, relativo à sexta jornada do campeonato da Liga Orangina e que se disputa na manhã do próximo domingo, dia 31, a partir das 10.15 horas, no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada.
O avançado da nossa equipa sofreu uma rotura lombar num dos treinos e como consequência disso ficará de fora dos trabalhos da equipa durante uma semana. Fica, desde já, impossibilitado de dar o seu contributo ao colectivo encarnado no confronto com o Belenenses.
No restante, o plantel trabalha todo sem limitações e com o máximo empenho para tentar garantir mais três pontos diante do histórico de Belém e assim dar seguimento aos bons resultados conseguidos em casa.

ESTÁ NA HORA

QUEREMOS PACHECO A JOGAR

QUEREMOS PACHECO A JOGAR

QUEREMOS PACHECO A JOGAR


NÃO ADMITIMOS
 DERROTAS EM CASA
NEM EMPATES


AQUI SÓ VITÓRIAS

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

PARABÉNS FAJARDO

João Paulo Silva Freitas Fajardo, Natural de Portugal, nasceu a 1978-10-27 (32 anos)
Avançado com 180 cm e 74 kg

Santa Clara vs Belenenses

QUEREMOS GOLOS

Um turbilhão encarnado

Turbilhão em que o Santa Clara está envolvido, a nível directivo, é sinal que algo vai mal naquela instituição desportiva. Depois de ler algumas notícias que davam conta de demissões na Comissão de Gestão, veio-me à cabeça que aqueles dirigente não estão de alma e coração naquele clube. Estrategicamente, e a um mês das eleições, esta demissão é um fracasso e uma falta de bom senso de qualquer dirigente. demitir-se numa altura em que o Santa Clara não está no seu melhor, por estar em desacordo com outra pessoa, e a tão pouco tempo de um processo eleitoral não foi, nem nunca será a melhor opção. 
Numa altura em que os resultados desportivos não são os melhores e os financeiros também não são os melhores, que melhor tomada de posição para agudizar uma crise que se avizinha do que esta ? Os santaclarenses têm de tomar uma posição e defender o melhor para o seu clube mas assim não vamos lá.


Julian Rocha

olha olha, o Homem não teve culhões

É verdade meus amigos, quem não tem culhões para defender uma camisa esconde-se e não dá cor de si.

Há muita gente que fala de cor e salteado como o caso dos nossos OCS.

Está na hora de ser verdadeiros, deviam apurar a verdade e só depois fazer noticia.

AÇOREANOS:

O QUE QUEIRAM PARA O FUTURO DESTE CLUBE?

envie a sua opinião para redboysonfire@sapo.pt, a mesma será publicada aqui na próxima semana

Nelson garante que o grupo está tranquilo e que os golos vão aparecer

Defesa-esquerdo salienta que é uma questão de sorte para a equipa começar a concretizar as oportunidades que cria e para que os resultados sejam melhores.
 
Ainda não foi na deslocação a Moreira de Cónegos para defrontar o Moreirense em jogo da quinta jornada da Liga Orangina que o Santa Clara somou os primeiros pontos na condição de visitado mas a qualidade evidenciada no futebol praticado mostra que só por manifesta falta de sorte é que a nossa equipa ainda não conseguiu pontuar fora de portas.
Essa foi, de resto, a análise feita por Nelson no arranque de mais uma semana de trabalho. O defesa-esquerdo não desanima e acredita que o futuro será mais positivo. «Essencialmente tem-nos faltado uma pontinha de sorte. As exibições têm sido bem conseguidas mas falta-nos o factor mais importante, que é o golo, o que faz a diferença no resultado», disse.
Consciente de que o trabalho desenvolvido ao longo das semanas é de qualidade e o futebol praticado em cada desafio justifica um resultado melhor do que os que têm sido alcançados, Nelson faz fé numa evolução positiva em termos de resultados. «Os golos vão aparecer, vamos dar a volta a esta situação e atingir os lugares que queremos na classificação porque a posição que ocupamos não é consentânea com o nosso valor».
Recordando que a Liga Orangina é «o campeonato mais competitivo», Nelson salientou que «com duas vitórias consecutivas podemos chegar lá acima». E é a pensar na soma dos três pontos na recepção ao Belenenses, na manhã do próximo domingo, que o plantel iniciou hoje, terça-feira, dia 26, mais uma semana de treinos.
«Depois de uma derrota queremos é que o próximo desafio chegue o mais depressa para rectificarmos o resultado anterior. Diante do Belenenses vamos entrar com determinação, como temos feito até aqui, para festejarmos a vitória no final da partida», referiu.
Se em termos colectivos o início de época não está a ser o mais desejado, a título pessoal Nelson está satisfeito com o seu rendimento. «Estou a jogar regularmente mas para que tudo seja positivo falta os resultados começarem a aparecer para que a equipa possa chegar aos lugares cimeiros da classificação».
A confiança que o grupo exibe apesar dos resultados não serem os mais desejados permite deixar de fora a ansiedade. «Não estamos ansiosos mas sim tristes porque temos consciência de ter feito o bastante para alcançar melhores resultados», disse.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Desinvestimento hipoteca ambições

ORÇAMENTO É O MAIS BAIXO DOS ÚLTIMOS ANOS
Os resultados negativos do Santa Clara esta época – onde apenas conquistou 4 pontos em cinco jornadas na Liga Orangina, além de já ter sido eliminado da Taça da Liga e também da Taça de Portugal – acompanham o desinvestimento efetuado no plantel profissional do clube açoriano.
O orçamento para 2010/11 é o mais baixo desde que o clube subiu às competições profissionais, cifrando-se em 950 mil euros. Comparando com a última temporada, o orçamento foi reduzido em 17 por cento e o clube pretende continuar a ajustar as despesas à realidade socioeconómica do país.
No entanto, o desinvestimento no futebol profissional apresenta maiores riscos no plano desportivo. A equipa liderada por Bruno Moura apresenta mais jogadores jovens, logo com menos experiência na Honra, e os resultados estão longe de satisfazer a ambição dos açorianos.
A comissão de gestão tem depositado, em diversas ocasiões, total confiança nas capacidades de Bruno Moura para gerir a equipa e garantir uma boa classificação. E nem o facto de estar na 14.ª posição coloca o lugar do treinador em risco, porque existe uma estratégia de médio prazo.
Os dirigentes optam por correr mais riscos em termos desportivos, mas estimam apresentar um lucro de 400 mil euros no final da época, verba que será utilizada para a redução da dívida bancária.
in record

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Há que levantar a cabeça... urgentemente!!!

1. Este início de época tem defraudado as expectativas da maioria dos sócios e simpatizantes do CD Santa Clara, incluindo aqueles que acompanham o dia-a-dia deste clube mesmo à distância. Confesso que, nesta altura do campeonato, esperava uma equipa mais forte, mais consistente e mais capaz de lutar em qualquer campo pelos 3 pontos. No entanto, o que vejo é uma equipa, ainda, à deriva, sem um onze-base definido (veja-se o caso do Sporting que muda de jogadores de dia para dia) e com muitas dúvidas e equívocos. Vejo uma equipa que ainda não assimilou as ideias do seu treinador, mudando constantemente de guarda-redes e de sistema de jogo. Vejo uma equipa que ainda procura a sua identidade de jogo e nota-se que os jogadores ainda não se conhecem bem uns aos outros. De quem é a culpa?? Será dos adeptos que sistematicamente continuam longe da sua equipa, faltando aos jogos em casa?!?! Será do treinador que não tem capacidade para liderar esta equipa?? Será dos jogadores que não têm valor para estar nesta equipa?!?!? Serão os elementos da comissão executiva os principais culpados por não transmitirem estabilidade directiva a este grupo de trabalho?? Bem... quanto a mim, é um pouco de tudo.
Não nos podemos esquecer que este grupo de trabalho é praticamente novo, a começar pelo seu jovem treinador. É verdade que Vitor Pereira (o melhor treinador que já passou por este clube!!!) também "pegou" numa equipa completamente nova e formada por jogadores que ninguém conhecia e conseguiu, logo no ano de estreia, começar a ganhar desde o inicio e apenas claudicando nas últimas jornadas. É verdade que tínhamos jogadores mais experientes (como Rincon, Hernani, Nuno Sociedade, Leandro Tatu, entre outros) que infelizmente já não fazem parte deste grupo de trabalho e tínhamos um modelo de jogo definido e consistente.
Este ano, Bruno Moura ainda não encontrou um modelo de jogo consistente e adequado à real valia deste grupo de jogadores (ora joga em 4-4-2 losango ora joga em 4-4-3), agravado pelo facto de mudar de guarda redes de jogo para jogo e de nunca repetir o mesmo onze. Assim, obviamente, não será possível ganhar jogos e subir na classificação. Enquanto não houver um onze-tipo, esta equipa continuará à deriva, sem fio de jogo e sem condições para mostrar que tem capacidade para lutar pela subida.
2. Apesar de estarmos numa posição classificativa nada honrosa, penso que chegou a altura deste grupo de trabalho cerrar os dentes e lutar até à exaustão pelos 3 pontos. Não quero dizer com isto que os jogadores não se esforçam ou não se empenham em campo, mas, sinceramente, 4 pontos em 15 possíveis é muito mau para quem anda a assumir que quer subir de divisão. As próximas 3 jornadas do campeonato (Belenenses e Gil Vicente em casa e Varzim fora) serão decisivas para Bruno Moura. Se a equipa não conseguir fazer, pelo menos, 6 pontos nestes confrontos, penso que o treinador terá os dias contados. O fosso entre os primeiros e os últimos começa a aumentar e se nas primeiras 5 jornadas tivemos 2 deslocações complicadas a partir de agora "ou vai ou racha". Se for, é porque afinal este plantel tem capacidade para lutar pela subida; se rachar, peço desculpa, mas Bruno Moura não tem capacidade para continuar. Este é o sentimento de muitos adeptos do CD Santa Clara que merecem ver a sua equipa em posição mais honrosa.
3. Há jogadores deste plantel que têm revelado bons pormenores, ao passo que outros foram claramente apostas falhadas. Pela positiva, gostaria de destacar a contratação de Ilic para o centro da defesa. Parece-me ser um bom defesa, forte no jogo aéreo e uma boa aposta de futuro. No meio-campo, Jeferson tem dado boa conta do recado e no único jogo que lhe vi fazer (em Sta Maria da Feira) gostei da sua atitude e da sua entrega em campo. É um médio lutador e bom recuperador de bolas. Fajardo, pela sua experiência, pode vir a ser uma mais valia mas, pelo que me parece, ainda está à procura da sua melhor forma. Não nos podemos esquecer que é um jogador que vem de uma longa paragem. Pacheco ainda não apareceu mas pelo que me têm dito ainda não está nas melhores condições físicas. Quando estiver na sua melhor forma, não tenho dúvidas que será titular indiscutível. No ataque, tenho gostado da irreverência de Alex. Apesar de ser um jovem, tem mostrado bons pormenores e tem um pé esquerdo que desiquilibra. Precisa, no entanto, de ser mais consistente nas suas acções e treinar mais o jogo colectivo. Por vezes, perde-se muito em jogadas individuais. Quanto a Renan e Moreira, já escrevi neste espaço que espero muito deles. E quando digo espero deles, quero dizer espero golos. Renan já mostrou, sobretudo, o ano passado que é um bom jogador e Moreira também mostrou no Oliveirense que é um jogador regular e capaz de marcar golos e ser útil no ataque.
De negativo, há jogadores nesta equipa, sobretudo na defesa (o jogo em Sta Maria da Feira foi um dos piores jogos defensivos que já vi este clube fazer) que não têm valor para estar neste plantel...
4. Já que falamos de jogadores, gostaria de sugerir ao mister Bruno Moura que visse alguns jogos do Operário (parabéns ao mister Francisco Agatão pelo excelente trabalho que tem vindo a fazer no Operário e que muitas vezes não é reconhecido por isso) e tivesse particular atenção a 2 jogadores que, quanto a mim, têm valor e potencial para estar numa divisão superior e porque não no CD Santa Clara. Falo do central Kay e do avançado Fabricio. Duas posições da nossa equipa que precisam de ser reforçadas no mercado de Inverno.
5. Próxima, e decisiva, etapa: ganhar ao Belenenses. Como já referi, o próximos 3 jogos serão cruciais para esta equipa, diria mesmo cruciais para o futuro de Bruno Moura. Gostaria de ver as bancadas do Estádio de São Miguel com mais público mas prevejo uma péssima assistência no próximo domingo. Motivos?? A equipa não ganha, está numa crise de resultados e de confiança evidentes e, perante este cenário negativista, acho pouco provável a adesão de público, excepto a claque do clube e uns míseros 100/200 adeptos. É triste mas é a nossa realidade. Mesmo quando tínhamos Vitor Pereira no comando da nossa equipa e a equipa a jogar bom futebol (e mais importante, em lugares de subida) as bancadas do estádio permaneciam despidas do público. O que dizer do facto de estarmos num modesto 14ºlugar....
6. Este, quanto a mim, é o melhor onze do Santa Clara: Matt Jones, Vitor Alves, Tenga, Ilic e Nélson; Jeferson, Pacheco e Fajardo; Alex, Moreira e Renan. Acredito que, com estes jogadores, conseguiremos ganhar ao Belenenses e dar um "pontapé" na crise. Vou acompanhar o jogo através da TV e vou torcer pelos 3 pontos. Eu, tal como todos os adeptos do CD Santa Clara, quero ver esta equipa a subir na classificação e acredito na qualidade destes jogadores. Mas tem que haver mais entrega, mais atitude, maior garra na luta pela vitória. Quero lembrar os jogadores que estão a jogar por um clube que não representa uma freguesia, não representa uma cidade, não representa uma ilha... representa uma região inteira!!!!!!
7. Não queria deixar de dar a minha opinião face ao momento directivo que este clube atravessa. Estamos a sensivelmente 1 mês das eleições para a direcção do CD Santa Clara e apesar de não haver listas oficiais já se perfilam alguns nomes. E um destes nomes (que são dois, neste caso) não me traz boas recordações. Falo, obviamente de Paulino Pavão e Luciano Melo. Gostaria que os santaclarenses não se esquecessem que este clube quando era liderado por estes dois senhores esteve quase a fechar as portas e a sua direcção cometia erros atrás de erros. Não quero acreditar que vamos voltar ao passado negro e obscuro que infelizmente quase nos levou à bancarrota...
Uma vez que ainda não há candidatos oficiais, não queria estar a revelar a minha preferência mas parece-me lógico e coerente apoiar a actual comissão de gestão e sobretudo, apoiar um homem que muito tem feito por este clube e que merece o respeito (leia-se votos) por tudo o que tem feito para levar este clube a uma dimensão consentânea com os seus pergaminhos. Graças ao trabalho dele e da sua equipa, eu e muitos adeptos deste clube voltaram a acreditar que este clube está vivo e bem vivo. Eu voto Mário Baptista, é o meu presidente!!!!! 
Tiago Oliveira

Esperar para ver..e vencer

Uma vez mais, o Santa Clara desiludiu a sua massa associativa e adeptos. Desta feita, os encarnados somaram a sua terceira derrota consecutiva e, penso eu, mostraram que estão a lutar pela manutenção do que pela subida à liga principal do futebol português. O treinador Bruno Moura está a enfrentar algumas dificuldades que não antevia, e o jogo frente ao Moreirense não foi excepção. Falta de eficácia, uma equipa por vezes apática e outras vezes com vontade de marcar foram algumas das características que saltaram mais à vista (ou ao ouvido, visto que ouvi o relato na rádio). 
O resto do campeonato (está visto) será sempre a sofrer. Será obrigatório vencer a partida frente ao Belenenses, visto que uma derrota no Estádio de S. Miguel, no dia em que se celebra o Halloween nos Estados Unidos da América, só irá acentuar o fosso entre os adeptos e os jogadores. Uma derrota em casa afastará  com toda a certeza muitos dos adeptos, restando apenas aqueles que seguem o Santa Clara durante as épocas desportivas, quer faça sol, quer faça chuva. Que o exemplo da claque RBOF sirva de exemplo para os mais cépticos. Como li no blogue da claque, estamos em fim de ciclo, mesmo com um plantel e treinador novos. A fase de vitórias e quase subidas está a finalizar, pelo que há que esperar para ver se o trabalho de Bruno Moura irá ter frutos esta época (com a manutenção, pelo menos) e com um melhor score na próxima época.
Nada há mais a dizer, senão esperar para ver.
Julian Rocha

Empate traduzia melhor o que se passou em campo

video
A sorte continua arredada da nossa equipa que voltou a perder pela diferença mínima. Segunda parte de melhor desenvoltura merecia um resultado mais positivo.
 
O Santa Clara voltou a não ser feliz numa deslocação ao continente e perdeu por 1-0 no confronto com o Moreirense em partida a contar para a quinta jornada do campeonato da Liga Orangina, jogo disputado na tarde deste domingo, dia 24 de Outubro.
A nossa equipa entrou em campo disposta a somar os três pontos mas encontrou pela frente um opositor que fazia do futebol directo a solução para tentar chegar ao golo, situação que não permitia aos pupilos de Bruno Moura terem tempo para pensarem o seu jogo.
E foi numa dessas bolas bombeadas que o Moreirense chegou ao golo, decorria o minuto 35: Lico, com um passe longo, lança Antchouet que após isolar-se não teve dificuldades em bater o guarda-redes Ney.
Mais uma vez o Santa Clara via-se em situação de derrotado e reagiu de imediato, reacção ainda mais enérgica no decorrer do segundo tempo.
A entrada de Moreira veio dar maior acutilância ao ataque e o avançado poderia ter feito o empate mas isolado frente a Roberto Tigrão não conseguiu desfeitear o guardião contrário. Na pressão em busca da igualdade a nossa equipa tudo fez para sair de Moreira de Cónegos com pelo menos um ponto, resultado que melhor se ajustaria ao que se viu nos 90 minutos do encontro.
No estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, o Santa Clara alinhou com: Ney; Vítor Alves, Diogo Silva, Ilic e Nelson; Jeferson, Gabi, Fajardo (Moreira) e Alex; Monteiro (Platini) e Renan.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Hoje sobe ao palco Carnification, Sommnoned Hel e Dj Claudinho

video
4 BANDAS 2 DIAS 1 DJ E MUITA MÚSICA



Red Boys on Fire,  vai organizar um festival de música Heavy Metal, nos dias 22 e 23 de Outubro, na freguesia do Livramento em recinto público. Estamos a contar com a presença de 4 Bandas musicais “dia 22 Carnification Sommnoned Hel dia 23 Hatin Wheeler e fake society e o DJ “ Claudinho”, sendo que este é um projecto-piloto que pretendemos vir a realizar todos os anos. mais

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Juniores aplicam goleada histórica

Frente à União de Nordeste, a nossa equipa venceu por 23-0! Hélder Arruda esteve em evidência pelos sete golos marcados, quase um terço do total.
 
Goleada por números que já não se usam: 23-0. Mais uma vez e no seguimento das vitórias recentes outro excelente jogo dos nossos rapazes que encararam a partida com muita honestidade e comprometimento. Pese embora a teórica superioridade da nossa equipa, a rapaziada fez questão de vincar essa mesma superioridade no campo.
Mais uma vez fica a questão da falta de competitividade dos nossos campeonatos, visto que nos últimos três encontros foram marcados 35 golos e apenas um sofrido.
Menos equipas, escalões mais abrangentes, série açores júnior, tudo sugestões a juntar a outras que deviam merecer a mínima reflexão de quem decide de forma a elevar a competitividade dos campeonatos jovens na nossa região.
No campo das Figueiras, em Santo António, o Santa Clara alinhou com: Vítor; David, Filipe, B10 e Bruno; Hugo, Tiago e António; Bruno, Hélder e Iuri.
Golos: Hélder (7), Hugo (4), Milton (4), B10 (2) Bruno Melo, António, David, Rodolfo, Diogo e Iuri (1).

Plantel todo disponível na preparação da partida com o Moreirense.

Bruno Moura tem todos os jogadores operacionais tendo em vista a deslocação a Moreira de Cónegos. O defesa Edgar está recuperado e já trabalha sem limitações.

O plantel sénior do Santa Clara cumpriu nesta quarta-feira, dia 20, mais uma sessão de trabalho que visa preparar o colectivo para o jogo da quinta jornada do campeonato da Liga Orangina, frente ao Moreirense, em Moreira de Cónegos, a disputar na tarde do próximo domingo.
Bruno Moura orientou uma sessão de aproximadamente 90 minutos a qual contou com todos os jogadores às suas ordens, pelo que é na máxima força que a nossa equipa prepara o regresso aos desafios do campeonato depois da eliminação da Taça de Portugal que não deixou boas recordações.
Apesar do sentimento de revolta pela forma como fomos derrotados pelo Juventude de Évora, os nossos jogadores mostram confiança e motivação no trabalho diário, colocando também alegria nos exercícios definidos pela equipa técnica, o que é sinónimo de que o grupo está cada vez mais identificado com os processos e que os resultados desejados vão começar a aparecer com maior regularidade.
A presença de Edgar no treino é a nota de maior realce. O defesa está recuperado da lesão que o afastou dos trabalhos ao longo das últimas três semanas. Debelada a rotura muscular o atleta procura agora adquirir o melhor ritmo competitivo para voltar a ser opção.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Jornadas e resultados

1ª Jornada
29-08-10
Santa Clara
1-1
Arouca
2ª Jornada
12-09-10
Leixões
1-0
Santa Clara
3ª Jornada
26-09-10
Feirense
1-0
Santa Clara
4ª Jornada
03-10-10
Santa Clara
3-1
Sp. Covilhã
5ª Jornada
24-10-10
Moreirense
-
Santa Clara
6ª Jornada
31-10-10
Santa Clara
-
Belenenses
Transmissão Sportv 10h15

NOTA DE IMPRENSA

Na reunião do Conselho Santaclarense realizada no dia 14 de Outubro, os Conselheiros tiveram a oportunidade de tomar conhecimento da actual situação desportiva, económica e financeira do CD Santa Clara, a qual foi detalhada e pormenorizadamente apresentada pela Comissão de Gestão e pelo Presidente do Conselho Fiscal.
Da ampla discussão que foi realizada os Conselheiros puderam concluir que a época desportiva irá desenrolar-se de uma forma proporcionada, não obstante as enormes dificuldades financeiras existentes e que estão a ser gradualmente resolvidas através de diversas soluções alternativas.
Foi neste âmbito que os Conselheiros tomaram conhecimento do propósito e necessidade da constituição de uma sociedade anónima desportiva, que será denominada de SANTA CLARA AÇORES, FUTEBOL, SAD, com a qual se pretende dar uma maior profissionalização da actividade desportiva profissional, mediante um projecto abrangente e que salvaguarde os interesses desportivos e financeiros do Santa Clara.
Também foi analisada a constituição da Fundação Campo Açores, como instrumento de desenvolvimento da actividade do clube e neste particular no Santa Clara Social.
Os Conselheiros acordaram igualmente que era importante que as eleições para os órgãos sociais decorressem até final do mês de Novembro de 2010.
Em conclusão o CD Santa Clara ficou ainda mais fortalecido perante o incentivo e a partilha de opiniões realizadas entre os principais representantes do clube.
Ponta Delgada, 15 de Outubro de 2010

Arquivo do blogue