Windows Live Messenger + Facebook

Chat

Este blogue é, e continuará a ser, um espaço de debate aberto e democrático sobre os assuntos do nosso Santa e da nossa Região. No entanto, não será admitido qualquer comentário que ultrapasse as regras do bom senso e da educação. Comentários insultuosos, ameaças e faltas de respeito para com os demais serão moderados, tendo a administração do blogue a autoridade e o dever de agir em conformidade contra os infractores - através de todos os mecanismos de protecção do mesmo. Saudações Santaclarenses RBOF

Resultado na hora

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

tragédia; Pelo menos 73 mortos na sequência de confrontos entre adeptos



Os confrontos começaram mal o árbitro deu por terminado o jogo em que o Al-Masry impôs a primeira derrota da temporada ao Al-Ahly



Pelo menos 73 pessoas morreram e centenas ficaram feridas na sequência de confrontos registados hoje em Port Said, no Egito, no final de futebol entre o Al-Ahly, treinado pelo português Manuel José, e o Al-Masry.


De acordo com fontes hospitalares, há, pelo menos, 73 mortos, depois de uma invasão de campo que acabou em cenas de violência entre os adeptos das duas equipas.


Os confrontos começaram mal o árbitro deu por terminado o jogo em que o Al-Masry impôs a primeira derrota da temporada ao Al-Ahly, com os adeptos a atirarem pedras, tochas e garrafas, tendo inclusive ferido alguns jogadores.


Os jogadores do Al-Ahly foram conduzidos ao balneário, depois de serem perseguidos pelos seguidores do Al-Masry, explicou a EFE, que relata pequenas invasões de campo a cada golo da equipa local.


Aquele que é um dos piores incidentes desportivos nas últimas décadas no Egipto estendeu-se já ao estádio do Cairo, onde se disputava o jogo entre o Al-Ismailiya e o Zamalek, com parte das bancadas a ser incendiada.


Declarações de Manuel José

«Levei pontapés e murros»



«Levei pontapés e murros»«Bem estou, quando o jogo terminou, não consegui voltar ao balneário por causa da confusão toda que aquilo deu. Levei pontapés, murros, meteram-me numa sala e nunca mais consegui voltar à cabina. Trouxeram-me para um quartel. Estou à espera que os jogadores venham», afirmou o treinador português em declarações à SIC Notícias.  «Os nossos adeptos chegaram a entrar para a nossa cabina. Já morreram cerca de 36 pessoas. Entretanto atearam fogo. Da nossa equipa estão todos bens. Eu é que não consegui voltar para a cabine. A culpa é dos soldados, havia dezenas deles e polícias também. Desapareceram todos, está o caos completo», acrescentou.
Nas imagens que chegam das agências pode ver-se dezenas de soldados no campo mas quando se olha para as imagens após a invasão, não se vislumbram soldados nem polícia.

«Vou ter de repensar a minha vida»


 «Agora vou ter de repensar a minha vida. Não há condições. Eu quis voltar para a cabine, levei socos pelas costas», declarou o treinador português à televisão portuguesa.
Recorde-se que destes violentos confrontos resultaram cerca de 73 mortos.
O Al-Ahly, orientado por Manuel José, segundo classificado com 36 pontos, perdeu o encontro o encontro por 3-1 para o Al-Masry, quarto classificado com 26. O campeonato no Egito está suspenso. 


Sem comentários:

Arquivo do blogue